Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Um homem de 62 anos foi detido duas vezes num espaço de uma semana na localidade de Esmoriz, concelho de Ovar, por violação do confinamento obrigatório a que estava sujeito. A detenção mais recente ocorreu esta quinta-feira: o homem foi encontrado na rua sem máscara ou viseira, apesar de estar infetado com o novo coronavírus e obrigado a estar em casa, disse ao Observador fonte do Comando Territorial da GNR de Aveiro.

A primeira detenção aconteceu no passado dia 21 de novembro, quando já estava obrigado a confinamento obrigatório, embora a GNR não saiba se, à data, já estava infetado: apenas tinham a indicação de que teria de estar confinado. Foi detido, conduzido à sua casa e os factos foram remetidos ao Tribunal Judicial de Ovar.

Esta quinta-feira, cinco dias depois, foi novamente detido pelas mesmas razões. Os militares da GNR deslocaram-se à casa do suspeito, durante uma ação de policiamento para a verificação do dever de confinamento obrigatório. Lá chegados, verificaram que o homem não estava em casa. “Decorrido algum tempo, foi possível verificar o suspeito a circular na via pública não usando máscara ou viseira“, detalhou a GNR num comunicado. Ao Observador fonte do Comando Territorial da GNR de Aveiro informou que o homem se encontrava infetado com o novo coronavírus.

No mesmo comunicado, a GNR recorda que “ficam em confinamento obrigatório, em estabelecimento de saúde, no respetivo domicílio ou noutro local definido pelas autoridades de saúde todos os doentes com COVID-19, os infetados com SARS-CoV-2, e os cidadãos relativamente a quem a autoridade de saúde ou outros profissionais de saúde tenham determinado vigilância ativa”. O homem incorre agora num crime de desobediência.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR