Um tribunal de Hong Kong considerou que atirar ovos a uma esquadra e insultar a polícia — como fez um homem de 31 anos nos protestos de junho do ano passado— é razão para 21 meses de cadeia, segundo a rádio local RTHK, citada pela CNN.

Pun Ho-chiu foi considerado culpado de nove acusações por esses atos, incluindo participação em ajuntamento ilegal, danos criminais e agressão a polícia.

Na leitura da sentença, o juiz reconhece que ninguém ficou ferido — e que atirar ovos “não é nenhuma arma de destruição massiva” —, mas considerou que Pun Ho-chiu sujou a esquadra e causou estragos num elevador, provocando descontentamento nas forças de segurança, minando a ação policial e colocando a sociedade em risco.

Os insultos à polícia fizeram agravar a pena do ativista, conhecido como “o pintor” e que desempenhou um papel relevante nesses protestos.

Os protestos em que participou Pun Ho-chiu, em junho do ano passado, levaram centenas de milhares de pessoas às ruas contra as emendas à lei da extradição que as autoridades de Hong Kong queriam impor — e que permitiriam enviar suspeitos de crimes para a China continental. Os protestos, que se arrastaram por largos meses, acabaram por evoluir para uma campanha pró-democracia.

Após um ano de protestos em Hong Kong, ainda há quatro reivindicações por conquistar