A Smart prepara uma série de novidades para 2022, começando a notar-se de forma mais evidente a presença do novo sócio, a Geely, de Li Shufu (que também é o maior accionista da Daimler, com quase 10%), que passou a deter 50% da Smart, até aqui pertença exclusiva dos alemães. Além da alteração da propriedade, a 100% eléctrica Smart vai igualmente deslocar a sua produção para a China, quando terminar o actual contrato com a Renault.

A mais recente novidade prende-se com a estreia de uma nova plataforma para o Forfour dentro de dois anos, que até lá continuará a usar a mesma do Renault Twingo, com o modelo a ser produzido numa fábrica da marca francesa. Ao contrário da actual, que nasceu para motores de combustão com alguma capacidade de adaptação a unidades eléctricas e à presença de baterias, a nova será exclusivamente eléctrica.

“Nós vamos contribuir com a nossa experiência, investigação e desenvolvimento para desenvolver a Smart, com benefícios para ambas as partes”, declarou Li Shufu. O acordo anunciado entre a Daimler e a Geely, no início de 2020, revelou que vão ser criados novos modelos desenhados pelos alemães e desenvolvidos e produzidos pelos chineses, país de onde serão exportados para a Europa.

Além de um novo Smart Forfour, para concorrer no segmento B, a Smart irá lançar um SUV sobre a mesma base, versão que será tão importante para o mercado europeu como para o chinês. Segundo o vice-presidente para o Marketing e Vendas da Smart, Daniel Leslow, o SUV será “ultramoderno e supercompacto”, construído sobre a plataforma SEA (Scalable Electric Architecture) da Geely.

Mas apesar de esta nova plataforma 100% eléctrica não ter sido concebida para o Smart Fortwo, do segmento A, este modelo será mantido, provavelmente sobre uma versão mais curta da mesma base, como aliás acontecia até aqui.