Portugal vai ter a partir de fevereiro, e pela primeira vez, um oficial de ligação de imigração na República da Índia, o terceiro país de origem dos imigrantes residentes no território nacional, divulgou esta terça-feira o Governo português.

O novo cargo será assumido, a partir do dia 1 de fevereiro, pelo inspetor coordenador Gonçalo Martins Rodrigues, anunciou o Ministério dos Negócios Estrangeiros e o Ministério da Administração Interna num comunicado conjunto.

Este novo cargo justifica-se pelo aumento, nos últimos anos, do número de imigrantes provenientes da Índia. Em 2020, foi o terceiro país de origem de imigrantes a residir em Portugal, tendo sido atribuídos 7.017 novos títulos de residência a cidadãos provenientes deste país”, referiu a nota informativa.

De acordo com os ministérios, o oficial de ligação para a imigração irá igualmente ter, a partir da embaixada portuguesa em Nova Deli, “competências para países como o Nepal e o Bangladesh”, que estão também entre os principais países de origem de novos imigrantes que chegam a Portugal.

Na nota informativa, os dois ministérios precisaram que o chefe da diplomacia portuguesa, Augusto Santos Silva, nomeou Gonçalo Martins Rodrigues sob proposta do ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita.

Gonçalo Martins Rodrigues, de 54 anos, é licenciado em Direito pela Universidade Autónoma de Lisboa e tem uma Pós-Graduação em Direito Público, vertente de estudos Jurídico Administrativos, lecionada pela Universidade Lusíada. No seu percurso profissional, tem desempenhado várias funções no Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) desde 2004. Ocupava, desde fevereiro de 2018, o cargo de diretor central de Investigação, depois de, entre 2016 e 2018, ter sido subdiretor regional do Algarve. Entre 2012 e 2016 foi subdiretor de Fronteiras de Lisboa, depois de ter desempenhado o cargo de subdiretor regional do Centro entre 2009 e 2012. De 2006 a 2009 foi chefe da Delegação Regional de Santarém e do Posto de Fronteira Marítima.