A Lotaria do Património, iniciativa do Governo inicialmente prevista para 2020, será lançada em 18 de maio, Dia Internacional dos Museus e do conselho de ministros europeus da Cultura, anunciou terça-feira a ministra Graça Fonseca.

“18 de maio, dia do conselho de ministros europeus da Cultura, é também o dia em que será lançada a primeira ‘raspadinha’ do Património”, afirmou terça-feira a ministra da Cultura, Graça Fonseca, numa audição regimental na comissão parlamentar de Comunicação e Cultura.

A Lotaria do Património Cultural, que chegou a ser anunciada para o ano passado, foi inscrita no Orçamento do Estado de 2021 para ajudar a responder a “necessidades de intervenção de salvaguarda e investimento”, em património classificado ou em vias de classificação, segundo as prioridades definidas pelo Governo para este ano.

Estudo conclui que património cultural pode ter dobro de visitantes e triplo da receita

Além de servir para angariar verbas que irão reforçar o Fundo de Salvaguarda do Património Cultural, segundo Graça Fonseca, a Lotaria do Património Cultural tem também o objetivo de “envolver todos”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Para que cada cidadão se sinta parte da missão nacional de preservar o património. Fazer com que cada um de nós se sinta parte de algo que tem de ser de todos. 2021 será também o ano de envolvermos todos nesta missão nacional”, afirmou.

A secretária de Estado Adjunta e do Património Cultural, Ângela Ferreira, na mesma audição parlamentar, lembrou que a Lotaria do Património “esteve prevista no Orçamento do Estado para 2020”, mas só agora é lançada visto que o seu lançamento envolve um “processo muito complexo, nomeadamente no que diz respeito a questões de segurança”.

“Temos vindo a trabalhar com a Santa Casa da Misericórdia [parceira do Governo nesta iniciativa], na perspetiva de a lançarmos no dia 18 de maio de 2021”, disse.