Carlos César e o filho Francisco César desconhecem a existência de um inquérito que envolva os seus nomes. Segundo o Correio da Manhã, os dois socialistas estão a ser investigados pelo Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) de Ponta Delgada por alegadas suspeitas de irregularidades em negócios entre o Governo Regional dos Açores e empresas privadas e também devido à atribuição de subsídios públicos. O inquérito em causa estará a investigar o período em que Carlos César liderava o Governo regional.

O DIAP de Ponta Delgada está a investigar suspeitas da prática de eventuais crimes de corrupção ativa, corrupção passiva, abuso de poder e branqueamento de capitais e, além dos dois socialistas, estarão envolvidos empresários locais, nomeadamente da área da hotelaria. O inquérito terá sido aberto em julho de 2017.

De acordo com o mesmo jornal, o Ministério Público na Comarca dos Açores confirmou a existência de um inquérito que “se encontra em investigação, sem arguidos constituídos e sujeito a segredo de justiça” e não esclareceu as questões relacionadas com o presidente do PS e o filho, deputado nos Açores.

O presidente do PS, Carlos César usou as redes sociais para garantir que desconhece “qualquer inquérito judicial” que o envolva e mostra-se “disponível para todos os escrutínios e para esclarecer sempre e em tudo o que for preciso”.

“Tenho bem mais de quatro mil dias de presidente do Governo nos Açores, que podem ser escrutinados hora a hora, perante milhares de situações e de interlocutores. Encontrar-se-ão, certamente, erros e omissões, mas nunca atos ou práticas como as que se insinuam no que agora se noticiou. De resto, todo o meu património e rendimentos estão registados na declaração que, como membro do Conselho de Estado, continuo a ter de submeter ao Tribunal Constitucional. Aliás, e de acordo com a lei, o mesmo acontece com os meus familiares diretos. Assim é, há muitos anos”, frisa o socialista no Facebook.

O jornal Correio da Manhã (surpresa!) dá conta de uma informação que terá recebido sobre um inquérito aberto no DIAP, em…

Posted by Carlos César on Thursday, February 4, 2021

Também Francisco César já reagiu nas redes sociais e garante que “quem não deve não teme”. O deputado dos Açores diz desconhecer “qualquer queixa ou inquérito judicial” que envolva o seu nome. “Existindo alguma investigação, que me inclua, como o jornal Correio da Manhã diz saber, confirmar-se-á que essa queixa está baseada em acusações infundadas e caluniosas”, garante.

Desconheço qualquer queixa ou inquérito judicial que me envolva. Existindo alguma investigação, que me inclua, como o…

Posted by Francisco Vale César on Thursday, February 4, 2021

Carlos César foi presidente do Governo dos Açores entre 1996 e 2012 e o filho é deputado na Assembleia Regional dos Açores desde 2008. Atualmente, Carlos César é presidente do PS desde 2014 e um dos braços direitos de António Costa.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR