Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Warren Buffett, o bilionário de 90 anos considerado o “guru” dos mercados, assumiu agora ter cometido um erro quando a sua Berkshire Hathaway adquiriu, em 2016, a Precision Castparts — que fabrica peças para a indústria aeronáutica — por 32,1 mil milhões de euros.

Na carta que escreve anualmente para os investidores, Buffett contou que a Precision perdeu em 2020, ano de pandemia, 9,8 mil milhões do seu valor. Mais, eliminou mais de 13.400 empregos, ou 40% de sua força de trabalho e só recentemente começou a melhorar as margens, como revela a Reuters. Este prejuízo significou, assim, uma quebra de 11 mil milhões de euros na Berkshire Hathaway.

“Eu estava errado… ao julgar o valor médio dos ganhos futuros e, consequentemente, errado no meu cálculo do preço adequado a pagar pelo negócio”, escreveu Buffett, refere a Reuters. “O meu erro de cálculo foi desmascarado pelos desenvolvimentos adversos em toda a indústria aeroespacial”, cita a CNN. Não é a primeira vez que o milionário, no entanto, considera ter errado. “Está longe de ser meu primeiro erro deste género. Mas é um grande problema”, assume.

Aliás, há dois anos o bilionário assumiu um erro semelhante pela Kraft Foods, resultado de uma fusão. Também em 2008, na sua carta anual, considerou a compra da Dexter Shoe o “seu pior negócio” de sempre, tendo assumido que comprou um negócio sem qualquer valor. Admitia também que provavelmente iria cometer mais erros no futuro.

Ainda assim, e apesar das perdas e das consequências da pandemia no mundo inteiro, a Berkshire Hathaway fechou o ano de 2020 com resultados considerados sólidos, com um lucro líquido de 35,8 mil milhões de euros. A empresa detém a Geico, a Dairy Queen, a Burlington Northern Santa Fe Railway Company, a  Duracell. Tem também ações na Apple, na Amazon, na Chevron, Verizon, American Express e na Coca-Cola.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR