O juiz Ivo Rosa decidiu deferir um requerimento de José Sócrates para ser aceite como assistente no caso EDP. Ao que o Observador apurou, a decisão do juiz de instrução criminal já foi notificada aos arguidos do processo que tem Manuel Pinho, ex-ministro da Economia de Sócrates, António Mexia e João Manso Neto, ex-líderes da EDP, e Ricardo Salgado, ex-presidente executivo do BES, como os principais arguidos por alegadas suspeitas de corrupção.

Tal como o Observador noticiou, a decisão sobre o pedido de assistente seria uma das primeiras a ser tomadas por Ivo Rosa após tomar conta dos autos do caso EDP após perder a exclusividade da Operação Marquês. O juiz de instrução criminal considerou que não havia o abuso de direito invocado pelo Ministério Público no despacho em que manifestou a sua oposição ao pedido de José Sócrates datado de 15 de dezembro de 2020 e aceitou-o como assistente.

José Sócrates pode vir a ser chamado ao caso EDP por causa da barragem do Baixo Sabor e das ‘luvas’ da Odebrecht

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.