Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Como os restantes modelos de competição da Abarth, o 1000 SP, de Sport Prototipo, obedecia à regra criada pelo inovador Carlo Abarth, que sempre preferiu as máquinas de competição leves e ágeis, que faziam milagres com motores pequenos e, além de pouco potentes, baratos. O Abarth 1000 SP, concebido como uma barchetta aberta, pesava apenas 480 kg, o que lhe permitia alcançar verdadeiros milagres com um motor com 105 cv.

A Abarth nomeou o engenheiro Mario Colucci para conceber o 1000 SP em 1966 mas, ao contrário de Carlo Abarth, o patrão, Colucci não acreditava em protótipos pensados exclusivamente para competição com motores à frente ou atrás. Daí que a barchetta montasse o conjunto motor/caixa de velocidade em posição central, imediatamente atrás do piloto, para melhor distribuição de massas pelos dois eixos.

O chassi tubular e a ligeira carroçaria aberta contribuíram para um peso inferior à meia tonelada, o que permitiu à Abarth continuar a montar o seu habitual motor de quatro cilindros com duas árvore de cames à cabeça, alimentado por dois carburadores duplos Weber 40. Com 982 cc, esta unidade é a mesma que motoriza o Abarth 1000 TC, que por sua vez deriva do Fiat 600D.

O Abarth 1000 SP era rápido e veloz, atingindo 220 km/h, e o seu valor ficou desde logo bem patente com a vitória nos 500 km de Nürburgring de 1966, na categoria até 1000 cc, a que se seguiriam sucessos em corridas disputadas em circuitos convencionais e até em provas de rampa.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Para homenagear o histórico Abarth 1000 SP, o Centro Stile Fiat e a Abarth decidiram construir uma versão moderna do 1000 SP de 1966. A base é o chassi em fibra de carbono do Alfa Romeo 4C Spider que, não sendo do tipo tubular, é igualmente leve e certamente mais rígido, mantendo por outro lado o motor central e a tracção traseira da barchetta original. A carroçaria tenta respeitar, tanto quanto possível, o original, apesar de o novo modelo ser consideravelmente maior e mais volumoso.

O motor utilizado é o quatro cilindros com 1742 cc sobrealimentado, que fornece 240 cv, estando acoplado a uma caixa automática de dupla embraiagem e seis velocidades. Com cerca do dobro do peso e bem mais do dobro da potência, este novo 1000 SP deverá mais rápido do que o original.

De acordo com o construtor, apenas será fabricada uma unidade, que não tem prevista uma carreira na competição, devendo limitar-se a exposições e a sessões de demonstração.