O ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, garantiu à estação de televisão CMTV que “nunca mais voltará a acontecer” andar em excesso de velocidade e sem luzes de emergência ligadas. Um carro que transportava o ministro tinha sido apanhado pela TVI no dia 5 de julho a andar a quase 160 km/h numa estrada nacional e a 200 km/h na auto-estrada.

Esta segunda-feira, o ministro do Ambiente apontou à CMTV: “Dos carros do Estado nada direi. Do meu próprio caso reconheci duas coisas: não era eu quem ia a conduzir, e não me apercebi do que estava a acontecer. Isso não me desresponsabiliza. Já fiz a minha contrição. Já falei com quem conduz, o meu motorista, e nunca mais voltará a acontecer”.

Na sua primeira reação, João Pedro Matos Fernandes tinha dito à TVI não ter “qualquer memória de os factos relatados terem sucedido” mas acrescentou que, se tivessem acontecido, “não deveriam”. E acrescentava: “Reconheço que, por vezes, e com a sinalização de emergência ligada, sei que os limites de velocidade são ultrapassados, apenas por razões de trabalho e para não chegar tarde a compromissos profissionais (…). Comprometo-me a estar mais atento em situações futuras”.

Carro onde seguia ministro do Ambiente circulava a 200 Km/h na autoestrada

Nesse dia 5 de julho, o motorista do ministro do Ambiente acabou por ligar as luzes de marcha de emergência — que a lei prevê que possam ser ativadas em situações de serviços urgentes de interesse público — mas fê-lo apenas depois de uma hora a infringir o código da estrada. Nesse dia, o ministro regressava a Lisboa de um evento de trabalho que assinalou a reabilitação da Estação de Tratamento de Águas (ETA) do Roxo, em Aljustrel.