O número de acidentes provocados por animais nas vias portuguesas tem vindo a aumentar desde 2019, registando desde o início desse ano até maio de 2021 um total de 5304 acidentes — a grande maioria provocados por animais domésticos, provocando 240 feridos e uma morte. A notícia é avançada pelo Jornal de Notícias esta quarta-feira, 21, segundo dados divulgados pela Guarda Nacional Republicana (GNR) que aponta os períodos de confinamento em que a circulação foi reduzida como possível causa para aumento.

Em 2019 os números apontam para 1762 sinistros provocados por animais na via o que resultou em 120 feridos, mas olhando para 2020 o número de acidentes sobe 44,8% com 2551 sinistros registados e 92 feridos. Só até maio de 2021 já estavam sinalizados 991 novos casos de acidentes.

“No ano de 2020, existiu uma diminuição significativa da circulação automóvel, encontrando-se as vias mais disponíveis à ocupação por animais”, justifica a GNR ao JN, dando os períodos de confinamento impostos pelas medidas de combate à pandemia como uma possível causa para o aumento de animais nas estradas. Muitos deles acabaram por abandonar zonas rurais e de descampados para chegarem a zonas urbanas.

No total, dos 5304 sinistros, 3474 foram provocados por animais domésticos e 1830 foram provocados por animais selvagens. E no que diz respeito a estes últimos dados, aqui registou-se um aumento do número de javalis (560 acidentes em 2020) que “deixaram de perceber a estrada como uma ameaça porque não havia tráfego durante o confinamento”, admitiu António Mira, docente da Universidade de Évora e coordenador do projeto Life Lines, uma iniciativa que quer minimizar os efeitos negativos das infraestruturas na fauna reduzindo a mortalidade desta.

Infraestruturas de Portugal lança aplicação para reduzir morte de animais nas estradas

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Quando aos animais domésticos, sobretudo os cães que provocaram a maioria dos acidentes (1428) em 2020, António Mira diz que também a situação pandémica poderá ter existido “maior abandono”, diz citado pelo JN, uma vez que nestas alturas de crise há “graves problemas económicos” e que as próprias pessoas estando em casa “não podiam vir com os animais à rua”.

O distrito de Portugal mais afetado, tendo em conta registos de 2019 até fevereiro deste ano, é Viseu, que regista 427 acidentes, seguido de Braga (353), Porto (319) e Faro (305). Apesar de se registarem alguns em autoestradas, a maior parte dos sinistros é em estradas nacionais e arruamentos.