O embaixador de Portugal em Brasília esclareceu esta segunda-feira que cidadãos que pretendam viajar do Brasil para território português têm de apresentar um teste negativo à Covid-19, negando que sejam aceites certificados de vacinação emitidos pelas autoridades brasileiras.

Visando corrigir “notícias recentes” que indicavam que Portugal reconhecia o certificado de vacinação contra a Covid-19 emitido pelas autoridades do Brasil, Luís Faro Ramos negou as informações e frisou que esse “reconhecimento tem que ser mútuo e recíproco”.

Até que os certificados de vacinação português e brasileiro sejam mutuamente e reciprocamente reconhecidos, essa validade não está em vigor. De uma maneira muito concreta, a situação que começou a vigorar em 01 de setembro deste ano não sofreu qualquer alteração”, ressaltou o diplomata, num vídeo difundido na página oficial da embaixada na rede social Facebook.

“Qualquer pessoa que queira embarcar do Brasil para Portugal só terá que apresentar um teste negativo à Covid-19, nada mais”, pontuou.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Neste momento, Portugal aceita teste laboratorial molecular por RT-PCR ou teste rápido de antigénio com resultado negativo, realizado nas 72 ou 48 horas anteriores à hora do embarque do Brasil para território português, respetivamente.

Já o Brasil exige a apresentação de teste RT-PCR negativo realizado nas 72 horas anteriores ao momento do embarque para entrada em território brasileiro, assim como o preenchimento obrigatório da Declaração de Saúde do Viajante.

“Quando as negociações, que se estão a desenvolver entre as autoridades de Saúde respetivas, chegarem a um bom termo, então aí sim, será possível reconhecer os certificados de vacinação. (…) É com muita satisfação que nós, em Portugal, vos voltamos a receber. (…) Quando os certificados forem mutuamente reconhecidos, aí deixará de ser necessária a apresentação de um teste”, acrescentou Faro Ramos.

Apesar de registar há várias semanas uma tendência de queda em vários indicadores da pandemia, o Brasil ainda é um países mais afetados pela doença no mundo, totalizando 590.752 mortes e 21,2 milhões de casos.

A Covid-19 provocou pelo menos 4.689.140 mortes em todo o mundo, entre mais de 228,49 milhões de infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 17.914 pessoas e foram contabilizados 1.062.320 casos de infeção confirmados, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em países como o Reino Unido, Índia, África do Sul, Brasil ou Peru.