350kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica. Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Poupe na sua eletricidade com o MEO Energia. Simule aqui.

Chelsea descansou aos três, continuou até aos sete e segue líder isolado da Premier League após "atropelar" Norwich

Blues venceram por 7-0 o lanterna vermelha do Campeonato inglês e asseguraram que são líderes pelo menos mais uma semana. Mount, com hat-trick, esteve em destaque no festival dos londrinos.

Reece James e Ben Chliwell festejam um dos golos do Chelsea
i

Reece James e Ben Chliwell festejam um dos golos do Chelsea

Getty Images

Reece James e Ben Chliwell festejam um dos golos do Chelsea

Getty Images

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O Chelsea garantiu este sábado que vai ser líder isolado da Premier League durante mais uma semana, pelo menos, ao bater em casa o último classificado Norwich, por claros e expressivos 7-0. A equipa Thomas Tuchel perdeu dois encontros importantes seguidos no final de setembro, frente à Juventus, para a Champions, e contra o Manchester City, para o Campeonato, mas está a reagir em bom plano, com quatro vitórias consecutivas. Destes triunfos, três foram para a Premier League, incluindo o desta tarde, com o outro a surgir a meio da passada semana, frente ao Malmö (4-0), para a Liga dos Campeões.

Num jogo com muitos golos mas pouca história, o Chelsea não deu quaisquer hipóteses aos canários, que continuam assim apenas com dois pontos, depois de dois empates e sete derrotas em nove jornadas. Os blues começaram o encontro pressionantes e, ao desbloquearem o resultado cedo, cedo se viu que não ia ser uma tarde fácil para os ocupantes do último lugar da tabela da Premier League. Veio de fora da área o 1-0, logo aos 8′, por intermédio de Mason Mount.

[Clique nas imagens para ver os golos do Chelsea-Norwich em vídeo]

A equipa de Tuchel percebeu que tinha espaço e oportunidade para fechar o jogo cedo e assim o fez, perante um conjunto do Norwich que tinha em Pukki, avançado finlandês, uma referência sem grandes ajudas. Passados 10′ do primeiro golo e após grande passe de Kovacic, Hudson-Odoi, que foi titular este sábado muito devido às lesões de Werner e Lukaku, fez o 2-0 na cara do guarda-redes adversário.

Ainda antes do intervalo, Reece James, após passe de Mount, que esteve em bom plano durante todo o encontro, fez o terceiro com uma picadinha à saída do experiente guarda-redes neerlandês Tim Krul. E, assim, ao intervalo as coisas estavam resolvidas.

O segundo tempo em Stamford Bridge não foi mais do que mais uma parte do passeio da equipa de Tuchel, que marcou mais dois em menos de vinte minutos: aos 57′, por Chilwell, e num autogolo de Aarons aos 62′. O Chelsea demonstrava qualidade nos ataques rápidos, que já lhe é reconhecida, mas também capacidade de desmontar uma equipa mais recuada, trabalhando em ataque posicional.

Já com mais um jogador, depois da expulsão de Gibson, que viu dois amarelos em dez minutos (55′ e 65′), o Chelsea fez por Mason Mount o 6-0 e o 7-0, completando assim o jovem internacional inglês um hat trick. No sexto golo, de grande penalidade, só à segunda é que Mount fez o golo, depois de Tim Krul ter defendido, mas de forma irregular de acordo com a equipa de arbitragem.

A página está a demorar muito tempo.