Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O ministro da Saúde francês, Olivier Veran, anunciou esta quinta-feira novas medidas para travar a propagação da Covid-19 no país.

Entre as novas medidas adotadas em França está um programa nacional para administrar uma dose adicional (de reforço) de vacinas contra a Covid-19 a todos os adultos, de acordo com o britânico The Guardian. O período entre as doses anteriores administradas e a dose de reforço é encurtado para cinco meses.

Será assim preciso administrar milhões de doses de vacinas no país, num programa de vacinação abrangente.

Certificados deixam de ser válidos sem dose “extra”

A partir de 15 de dezembro — ou seja, dentro de cerca de três semanas — o certificado de vacinação para pessoas com mais de 65 anos (que facilita as viagens e permite aceder a uma série de serviços) não será válido caso o seu portador não tenha recebido uma dose extra de reforço cinco meses depois das anteriores.

As regras passam a aplicar-se a todos os adultos a partir de 15 de janeiro, ou seja, todos os maiores de 18 anos precisarão de ter recebido uma dose de reforço para terem os seus certificados de vacinação válidos.

Outra das regras adotadas passa pela utilização de máscara. A partir de esta sexta-feira, 26 de novembro, passa a ser obrigatório utilizar máscara em todos os espaços fechados e em eventos que juntam aglomerados de pessoas, por exemplo mercados de Natal.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Em Portugal, até ao final da manhã de esta quinta-feira (25 de novembro) a dose de reforço de vacinas contra a Covid-19 não se aplicava a todos os adultos, tendo sido para já comunicado que serão elegíveis para as receber apenas todos os maiores de 18 anos que tenham recebido a dose única da Janssen.

Segunda dose para vacinados com Janssen, terceira para idosos recuperados. 18 respostas sobre as novas regras da dose de reforço