Portugal é o único país da União Europeia que se encontra na zona verde da matriz com que o Governo ilustrou o plano de desconfinamento apresentado na quinta-feira passada. Ou seja, é o único que tem uma incidência inferior a 120 casos acumulados ao longo de duas semanas por 100 mil habitantes e um número básico de reprodução — o R(t), que indica quantas pessoas pode contagiar alguém infetado com o SARS-CoV-2 — inferior a 1.

Se alargarmos a leitura ao Reino Unido, os britânicos também entram na região mais apetecível do gráfico, mas por pouco: a incidência é de 119,8 novos casos em 14 dias por 100 mil habitantes e o R(t) é de 0,97 neste momento. Mesmo países que também acabaram de sair do confinamento, como o Chipre, ou que vivem um desconfinamento a conta-gotas, como a Dinamarca, estão na zona laranja ou vermelha do gráfico.

É isso que revelam os números de casos confirmados reportados pelas autoridades de saúde ao Our World in Data, a plataforma digital da Universidade de Oxford que reúne dados sobre a pandemia, e a fórmula que o Instituto Robert Koch (Alemanha) utiliza para calcular o R(t). Enquanto Portugal é agora o bom exemplo europeu, a República Checa e a Estónia são os Estados-membros mais preocupantes neste momento.

Portugal

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.