Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Enviado especial do Observador à Rússia (em Sochi)

Olhando para a capa do Tuttosport deste domingo, poderíamos dizer de olhos quase fechados que o futuro de Cristiano Ronaldo era branco e preto. De acordo com a publicação italiana, a Juventus estará apostada em garantir o jogador que, curiosamente, apontou um dos melhores golos da carreira em Turim (de tal forma que os próprios adeptos da Vecchia Signora se levantaram a aplaudir, num gesto que foi agradecido pelo avançado), contando com as dificuldades que estarão a existir com a renovação de contrato com o Real Madrid (a última proposta teria sido de 30 milhões de euros por época) e com a presença de Jorge Mendes, “o Tom Cruise dos agentes”, para intermediar o negócio financiado pela poderosa Fiat Chrysler Automobiles. “Ronaldo-Juve: que história!”, titular o jornal desportivo. No entanto, o futuro do capitão nacional é tudo menos branco e preto, no sentido literal — e as próprias palavras do jogador após o jogo com o Uruguai mostram essas dúvidas.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.