Olá

831kWh poupados com a
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

GettyImages-2107867674
i

Na última edição, a Ucrânia chegou aos quartos de final e rubricou a melhor prestação da sua história

NurPhoto via Getty Images

Na última edição, a Ucrânia chegou aos quartos de final e rubricou a melhor prestação da sua história

NurPhoto via Getty Images

Ucrânia (Grupo E). O sonho de uma geração é a vitamina de toda uma nação

A grande batalha da Ucrânia disputa-se fora de campo, mas a sua seleção promete representar da melhor forma o país. Depois de apurar-se no playoff, os ucranianos prometem não ficar por aqui.

A história mais recente da Ucrânia tem sido escrita fora de campo do que propriamente dentro do terreno de jogo. O país vive tempos de guerra mas uma das “salvações” do povo ucraniano tem sido, precisamente, a sua seleção. A fase de qualificação não foi fácil, como seria de prever, mas a grande alegria acabou por aparecer no playoff, onde a Ucrânia bateu a Bósnia e a Islândia e ficou apurada para mais um Europeu.

O principal objetivo está cumprido ainda antes do início da competição da Alemanha, mas os ucranianos prometem não ficar por aqui. A marcar presença em Europeus desde 2012, ano em que jogaram em casa, a Ucrânia tem subido paulatinamente o nível e, em 2021, chegou aos quartos de final. Em 2024 a equipa caracteriza-se pela mistura entre a juventude e os mais velhos, mas o grupo não é fácil.

A grande diferença da equipa atual para as anteriores prende-se com a quantidade de jogadores a atuar nos principais campeonatos europeus. À cabeça aparecem, naturalmente, Andriy Lunin, guarda-redes do Real Madrid, o capitão Oleksandr Zinchenko, que atua no Arsenal, Mykhailo Mudryk, jovem-prodígio que levou o Chelsea a pagar 70 milhões de euros ao Shakhtar Donetsk, e Artem Dovbyk, melhor marcador da última edição de LaLiga ao serviço do Girona.

BI

  • Ranking FIFA atual: 22.º
  • Melhor ranking FIFA: 11.º (fevereiro de 2007)
  • Alcunha: Синьо-жовті (Os azuis e amarelos)
  • Presenças em fases finais: 4
  • Última participação. Quartos de final no Europeu de 2020 (Inglaterra, 0-4)
  • Melhor resultado. Quartos de final no Europeu de 2020 (Inglaterra, 0-4)
  • Qualificação. Apuramento através do playoff de qualificação (Bósnia, 2-1 e Islândia, 2-1)
  • O que seria um bom resultado? Chegar à Alemanha foi o grande resultado da Ucrânia, mas alcançar os oitavos engrandece ainda mais o feito

Jogos em 2024

  • Playoff de qualificação, 21/3: Bósnia (fora), 1-2 (V)
  • Playoff de qualificação, 26/3: Islândia (neutro), 2-1 (V)
  • Jogo particular, 3/6: Alemanha (fora), 0-0 (E)
  • Jogo particular, 7/6: Polónia (fora), 3-1 (D)
  • Jogo particular, 11/6: Moldávia (fora), 0-4 (V)
GettyImages-2148726164

A Ucrânia teve de passar pelo playoff para chegar à Alemanha

Getty Images

O onze

  • 4x3x3: Andriy Lunin; Konoplya, Illya Zabarnyi, Mykola Matviyenko, Mykolenko; Taras Stepanenko, Heorhiy Sudakov, Zinchenko; Viktor Tsygankov, Mudryk e Artem Dovbyk

O treinador

  • Sergei Rebrov (ucraniano, 50 anos, desde 2023)
  • Outros clubes: Dínamo Kiev, Al Ahli Jeddah, Ferencváros e Al Ain

O craque

  • Oleksandr Zinchenko (27 anos, lateral/médio do Arsenal)
  • Outros clubes: Shakhtar Donetsk, Ufa, PSV e Manchester City

A revelação

  • Mykhaylo Mudryk (23 anos, avançado do Chelsea)
  • Outros clubes: Shakhtar Donetsk
GettyImages-2155382259

Mykhaylo Mudryk é um dos jogadores mais caros de sempre, tendo custado, em janeiro de 2023, 70 milhões mais bónus ao Chelsea

DeFodi Images via Getty Images

O mais internacional e o maior goleador

  • Andriy Yarmolenko (117 internacionalizações e 46 golos)

Os 26 convocados

  • Guarda-redes (3): Bushchan (Dínamo Kiev), Trubin (Benfica) e Lunin (Real Madrid)
  • Defesas (9): Matviyenko (Shakhtar), Konoplya (Shakhtar), Bondar (Shakhtar), Tymchyk (Dínamo Kiev), Mykolenko (Everton), Zabarnyi (Bournemouth), Svatok (Dnipro), Talovyerov (LASK Linz) e Mykhailichenko (Polissya Zhytomyr)
  • Médios (10): Yarmolenko (Dínamo Kiev), Shaparenko (Dínamo Kiev), Brazhko (Dínamo Kiev), Stepanenko (Shakhtar), Zubkov (Shakhtar), Sudakov (Shakhtar), Zinchenko (Arsenal), Tsygankov (Girona), Malinovsky (Génova) e Sydorchuk (Westerlo)
  • Avançados (4): Dovbyk (Girona), Mudryk (Chelsea), Yaremchuk (Valência) e Vanat (Dínamo Kiev)

A antevisão

"É muito importante para os ucranianos verem como lutamos em campo. Estou grato aos jogadores por terem transmitido o espírito da nossa nação. Temos muitos jogadores jovens, esta seleção tem muito potencial. Vamos ver como corre o Campeonato da Europa. Esta é uma equipa muito promissora para o futuro, vamos construí-la e tentar mostrar resultados com jogadores jovens e experientes"
Sergei Rebrov

A ligação a Portugal

Portugal e Ucrânia estão umbilicalmente ligados. A comunidade ucraniana a viver em território luso é uma das maiores, com isso a refletir-se também no futebol. Atualmente, apenas o guarda-redes Anatoliy Trubin joga em Portugal, ao serviço do Benfica, que, no início da época, pagou dez milhões de euros pelo passe de um dos guardiões mais promissores do futebol mundial. Apesar do valor, Lunin parte na pole position na baliza. Olhando ao plantel encontramos ainda Roman Yaremchuk, antigo avançado das águias que não se conseguiu afirmar no futebol português depois de ter chegado à Luz da Bélgica.

Experiência internacional, quase dois metros e aquele choque com Rüdiger: Trubin vai discutir baliza do Benfica com Vlachodimos

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

 
Assine um ano por 79,20€ 44€

Não é só para chegar ao fim deste artigo:

  • Leitura sem limites, em qualquer dispositivo
  • Menos publicidade
  • Desconto na Academia Observador
  • Desconto na revista best-of
  • Newsletter exclusiva
  • Conversas com jornalistas exclusivas
  • Oferta de artigos
  • Participação nos comentários

Apoie agora o jornalismo independente

Ver planos

Oferta limitada

Já é assinante?
Apoio a cliente

Para continuar a ler assine o Observador
Assine um ano por 79,20€ 44€
Ver planos

Oferta limitada

Já é assinante?
Apoio a cliente

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Para ler este artigo grátis, registe-se gratuitamente no Observador com o mesmo email com o qual recebeu esta oferta.

Caso já tenha uma conta, faça login aqui.

Apoie o jornalismo. Leia sem limites. Verão 2024.  
Assine um ano por 79,20€ 44€
Apoie o jornalismo. Leia sem limites.
Este verão, mergulhe no jornalismo independente com uma oferta especial Assine um ano por 79,20€ 44€
Ver ofertas Oferta limitada