Não foi a primeira vez que o ministro Manuel Heitor defendeu o fim progressivo das propinas no Ensino Superior. Mas esta segunda-feira, o ministro da Ciência, Tecnologia e do Ensino Superior foi acompanhado na tese por mais dois colegas de governo. Alexandra Leitão, secretária de Estado adjunta da Educação, e Pedro Nuno Santos, secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, defenderam o mesmo num debate no ISCTE. No final da Convenção Nacional do Ensino Superior, chegou um apoio inesperado: o Presidente da República mostrou-se favorável ao fim das propinas no 1.º ciclo de estudos académicos.

Durante a sua intervenção, que encerrou o encontro, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ser “um passo decisivo” a progressiva eliminação das propinas, já que estas são um factor de desigualdade social. À margem da convenção, aos jornalistas, reafirmou o que dissera no interior da universidade lisboeta.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.

IFCN Badge