Cinco pessoas mortas, carros a derreter e árvores a pegar fogo sozinhas. Tudo consequências de as temperaturas terem chegado aos 63ºC na Cidade do Kuwait, a maior metrópole daquele país situado no Golfo Pérsico. E, claro, com valores tão altos, as temperaturas registadas naquele país asiático batem recordes mundiais. Verdade? Falso, claro.

Apesar de nenhum dos factos ser verdade, a notícia já foi partilhada nas redes sociais mais de mil vezes, através de páginas escritas em português, e aparece em mais do que um site na internet, como o RA Notícias ou o BuzzTimes, cuja publicação já leva mais de 800 partilhas no Facebook.  Também a página de Facebook “Transição Planetária — As verdades escondidas”, que se assume como um grupo preocupado com as alterações climáticas, tem perto de 600 partilhas. A notícia falsa também se repete em sites de língua inglesa. Nestes não é sequer a primeira vez que aparece. A pesquisa do Observador mostra que os primeiros relatos são de 2017, repetiram-se em 2018 e agora reaparecem em 2019. Sempre pela altura do Verão, como não podia deixar de ser.

No site Buzztimes, a informação foi partilhada no dia 4 de julho e já foi partilhada mais de 800 vezes. A fotografia foi também manipulada.

Há algumas alterações: as primeiras vezes que a notícia se tornou viral era acompanhada de imagens de árvores que, alegadamente, se incendiavam sozinhas devido às altas temperaturas. Agora, a imagem mais comum é a de carros com peças derretidas devido ao calor — e a mesma imagem já serviu para propagar notícias de temperaturas falsas no Kuwait, na Arábia Saudita e até no Arizona (Estados Unidos).

kuwait

Vamos então aos factos. Algum dia a temperatura na Cidade do Kuwait chegou aos 63º C? A resposta é simples: nunca. Nem ali, nem em qualquer outro sítio do mundo. Apesar de ser um dos sítios mais quentes do planeta, e de, com muita frequência, as temperaturas ultrapassarem os 45ºC no verão — até mesmo os 50ºC, durante vagas de calor –, o recorde está longe de chegar àqueles números. Segundo a Organização Meteorológica Mundial, agência das Nações Unidas, o Kuwait detém o recorde da terceira temperatura mais alta do mundo, a rondar os 54ºC.

Segundo os dados oficiais, em Mitribah, Kuwait, a 21 de julho de 2016, os termómetros chegaram aos 53,9ºC, valor que é também reconhecido pela agência da ONU como a temperatura mais alta registada no continente asiático, com uma margem de erro de apenas 0,1ºC. Assim, este valor é também reconhecido oficialmente pela Organização Meteorológica Mundial como a temperatura mais alta dos últimos 76 anos a nível planetário. No ano seguinte, a 28 de maio de 2017, em Turbat, no Paquistão, assistiu-se a um outro recorde do mundo moderno: foi medida a quarta temperatura mais elevada do mundo, uns abrasadores 53,7ºC (e que são também os segundos mais altos dos últimos 76 anos).

O recorde de local mais quente do planeta é detido por Furnace Creek, Death Valley, Califórnia, nos Estados Unidos. Ali, a 10 de julho de 1913, as temperaturas terão chegado aos 56,7ºC, embora muitos especialistas defendam que este valor não é real e terá derivado de erros de leitura dos equipamentos usados no início do século XX. A segunda temperatura mais elevada foi registada em julho de 1931 em Kebili, Tunísia, e chegou aos 55ºC, valor que causa a mesma dúvida a alguns climatologistas. No entanto, continuam a estar no topo da lista oficial da agência das Nações Unidas.

Quanto ao corpo humano, não é possível dizer com certezas absolutas qual a temperaturas máxima que pode aguentar, já que isso depende do metabolismo de cada um e do tempo em que se fica exposto ao calor extremo. O que é certo é que, quando a temperatura do corpo humano chega aos 40ºC, entra-se em hipertermia, o que leva à perda de líquidos e sais minerais, situação que pode causar tonturas, vómitos e até perda de consciência. Aos 42ºC, o funcionamento dos órgãos e de todo o metabolismo é afetado, podendo ocorrer convulsões e delírio, e a entrada em coma é uma possibilidade.

Se o corpo humano atingir os 43ºC, a morte é quase certa, assim como lesões cerebrais e colapso cardiorespiratório.

Conclusão:

O texto está pejado de factos falsos e o que dá título à notícia é totalmente errado, já que nunca foram registadas temperaturas de 63ºC em qualquer local do planeta. No Kuwait, o recorde é de 53,9ºC, longe das temperaturas indicadas no texto.

Segundo a classificação do Observador, este conteúdo é:

Errado

No sistema de classificação do Facebook, este conteúdo é:

FALSO: as principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.