Desde 10 de junho que no Facebook se lê o seguinte: “Governo alemão admitiu que Covid-19 é falso”. A publicação chegou às 64,5 mil visualizações e às 1,8 mil partilhas. Trata-se, no entanto, de uma publicação falsa. Esta publicação tem por base um texto publicado num blogue, o “Tectónico”, no qual é possível ler “todos os artigos de Augusto Deveza Ramos”, que se apresenta como sociólogo — sem, porém, apresentar uma página oficial credível que o credencie como tal. Este autor, que tem uma imagem com a sua suposta cara associada, também já escreveu para o “Notícias Maia”, um portal de notícias daquela região, sendo possível encontrar textos iguais do mesmo autor, tanto no portal como no blogue.

A publicação do blogue a 5 de junho que diz que o governo alemão admite que o “Covid é falso”

Num desses textos do blogue, apelidado de “Covid é falso, admite governo alemão”, e datado de 5 de junho, é possível ler que o governo alemão admitiu o “engano mundial” em relação à pandemia causada pelo novo coronavírus. “Covid nunca existiu, foi falso alarme. Foi apenas uma gripe de inverno, diz o governo alemão”. O tom conspiratório do texto — muito semelhante aos que se vão encontrando na internet, contendo informações falsas ou enganosas — carece também de fontes. No entanto, em nenhuma parte deste pequeno texto é citado um ministro do governo liderado por Angela Merkel, nem sequer é linkada a notícia com a citação que é proferida nesse texto. Nem sequer a data em que terá sido supostamente proferida.

Fazendo uma busca por notícias credíveis relacionadas com o que é dito no texto, não foi possível alcançar qualquer resultado. Por outro lado, são várias as notícias que dão conta da preocupação que o governo e as autoridades alemãs têm demonstrado, tanto durante a quarentena, como agora no processo de desconfinamento. A 9 de abril, por exemplo,  a chanceler alemã, Angela Merkel, admitiu que não seria necessário impor mais medidas restritivas no país, mas que o povo alemão teria de ter paciência, porque a situação era “frágil”.

Merkel pede paciência aos alemães porque situação continua “frágil”

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Em maio, quando a Alemanha começou a desconfinar, pediu à população que cumprissem regras básicas para evitar a propagação do novo coronavírus, como noticiado pelo Expresso. Também é importante dizer que a Alemanha foi dos países que mais testes fez, como noticiado em abril passado pelo The New York Times, num artigo que procurava explicar o porquê de a Alemanha ter um número reduzido de mortos, em comparação com o número de infetados: a 18 de junho registava 190.179 infetados e 8.927 mortes por Covid-19. Por comparação, Espanha registava 291. 763 infetados e 27,. 36mortes. Portanto, um país que decide combater esta pandemia, ativando os mecanismos de saúde apropriados, como a testagem em massa, não pode ser um país que declare o novo coronavírus como um alarme falso.

Esta informação, de resto, já tinha sido verificada porque recentemente foi divulgado um suposto relatório do Ministério do Interior da Alemanha, que dava conta de que a pandemia teria sido “um falso alarme global”.  Segundo o Boatos-org, que verificou este documento, não é verdade que este seja um documento oficial do governo alemão, para além de que contém informações duvidosas. Não tem nenhuma assinatura de nenhum membro do governo, não contém marca de água de qualquer ministério alemão e alguns dos links partilhados no documento estão incorretos — ou seja, não vão dar a outro endereço oficial.

Conclusão

A publicação que dizia que o “Governo alemão admitiu que Covid-19 é falso” não é verdadeira. Esta publicação tem por base um texto publicado num blogue, o “Tectónico”, onde se encontram textos de um suposto sociólogo. O texto, contudo, não cita nenhum ministro do governo liderado por Angela Merkel nem fundamenta de maneira nenhuma o conteúdo. É até bastante conspirativo, como os demais artigos. Nem sequer explicita a data em que a afirmação (de que o Covid-19 é falso) foi supostamente proferida, nem quem a disse.

Entretanto, a informação veiculada pelo texto já foi verificada por um site de fact-checking brasileiro, o Boatos-org. Nesse artigo, é possível encontrar um suposto relatório do Ministério do Interior alemão, onde se fala do tal falso alarme que foi a pandemia do novo coronavírus. A conclusão desse site é que não é verdade que este seja um documento oficial, tendo o próprio várias informações duvidosas. Além disso, o documento não contém qualquer marca de água oficial do governo liderado por Angela Merkel e alguns dos links não vão dar a nenhum endereço oficial.

Assim, de acordo com o sistema de classificação do Observador, este conteúdo é:

ERRADO

De acordo com o sistema de classificação do Facebook, este conteúdo é:

FALSO: as principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota 1: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact-checking com o Facebook.

Nota 2: O Observador faz parte da Aliança CoronaVirusFacts / DatosCoronaVirus, um grupo que junta mais de 100 fact-checkers que combatem a desinformação relacionada com a pandemia da COVID-19. Leia mais sobre esta aliança aqui.

IFCN Badge