Várias catástrofes naturais, desde incêndios a cheias, têm afetado diferentes países nas últimas semanas. No passado mês de julho, a Alemanha e a Bélgica foram assoladas por inundações que provocaram milhões de euros em estragos e vários mortos. Uma mensagem de WhastApp divulgada no Facebook no passado dia 16 de julho dava conta de uma alegada tragédia ainda maior, consequência destes episódios climáticos: 600 corpos de bebés foram descobertos numa cave de um ginásio. Trata-se, no entanto, de uma publicação falsa.

Publicação falsa alega uma tragédia que não ocorreu na Alemanha.

Essa mensagem, além de fazer parte de um grupo de chat denominado “notícias patriotas” (essa é a designação visível na fotografia) daquela rede social, não contém notícias sobre o assunto divulgado. Ou seja, não há qualquer fonte oficial que permita corroborar aquilo que é reportado.

Depois, ao se fazer uma pesquisa sobre a alegada notícia macabra, damos conta de alguns fact-checks que desmontaram a publicação original. A emissora alemã DW escreveu no seu site, por exemplo, que a polícia da cidade de Konblenz, uma das regiões afetadas pelas inundações, negou a possibilidade de corpos de bebés terem sido encontrados.

Refere-se também que estes rumores começaram a circular depois de uma reportagem do canal alemão n-tv em que se falava de derrocadas de casas onde corpos de bebés tinham sido encontrados — ainda que o número divulgado não fosse o 600. O problema é que essa reportagem aconteceu em Altenburg, outra região também afetada pelas inundações. Foi o que bastou para que a internet fizesse o seu caminho: publicações com imagens do repórter começaram a surgir ao lado da tal alegação do número elevadíssimo de corpos de bebés. Ainda assim, nenhuma evidência foi encontrada para sustentar a alegação original.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A teoria mais forte, descrita pelo DW, é a de que esta notícia falsa está ligada ao movimento Qanon, que acredita que a elite política e de Hollywood é, na verdade, pedófila, e que conduz experiências em bebés em locais subterrâneos como caves ou bunkers. E mesmo que a publicação tenha sido partilhada em diferentes redes sociais nas mais diversas línguas, é impossível perceber como chegaram aos 600 corpos.

O fact-checker espanhol Maldita também verificou e desmentiu esta publicação. Refere que a 28 de julho o número de mortes chegava às 132 mais 73 pessoas desaparecidas. E também não encontrou qualquer prova que ajudasse a comprovar este evento trágico. Nem na internet, nem nos órgãos de comunicação social alemães.

Conclusão

Não é verdade que as inundações na Alemanha tenham “revelado” 600 corpos de bebés que surgiram numa cave de um ginásio. Não há nenhuma notícia daquele país que corrobore aquilo que foi divulgado pela publicação original. Depois, a emissora DW falou com a polícia de uma das regiões alemãs afetadas que negou que aquela alegada notícia fosse verdadeira. Também o fact-checker espanhol Maldita desmentiu estas informações, não encontrando qualquer evidência que sustentasse o que foi partilhado nas várias plataformas digitais.

Segundo a classificação do Observador, este conteúdo é:

ERRADO

No sistema de classificação do Facebook, este conteúdo é:

FALSO: As principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.

IFCN Badge