“Um povo que elege corruptos, impostores, ladrões e traidores, não é vítima. É cúmplice!” A frase já foi tantas vezes atribuída a George Orwell que chegou a aparecer na imprensa como sendo do escritor inglês que viveu entre 1903 e 1950 e que escreveu, entre muitos outros, “1984” ou “O Triunfo dos Porcos”.

Acontece que a citação é “gramaticamente fraca” disse, à AFP, Bill Hamilton, agente literário e executor testamentário do escritor britânico. E só por isso, defendeu, já seria de duvidar da autenticidade da citação, uma vez que não bate certo com o estilo de Orwell.

A frase não foi dita por Orwell

A garantia de que a frase não é do autor de “1984” vem de Benedict Cooper, o responsável pela comunicação da Sociedade Orwell, e que garantiu publicamente, tanto à agência Reuters como à AFP, que se trata de uma citação falsa. “Posso confirmar que se trata de uma citação falsa. Orwell nunca a escreveu em nenhum dos seus ensaios nem em nenhum de seus livros”, afirmou Cooper, citado pela AFP.

Não é a primeira vez que a frase surge nas redes sociais, erradamente atribuída a Orwell e o erro não é sequer exclusivo dos internautas portugueses. Tem circulado, e tem sido partilhado, centenas de vezes, nas versões inglesa, francesa, espanhola ou italiana. A Newsweek, num artigo dedicado a citações famosas de George Orwell no seu 115.º aniversário, em 2018, chegou a inclui-la no meio de outras frases célebres realmente ditas, ou escritas, pelo autor.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Em 2021, a publicação acabaria por acrescentar no final da peça, que ainda está disponível online, uma nota, clarificando que a frase lhe é erradamente atribuída. Tanto na Newsweek, como em qualquer outro sítio onde a citação é usada, nunca é assinalada qual a sua origem — seja o nome de uma obra de ficção, ensaio ou o momento em que foi dita publicamente.

Para além disso, a frase não está “sequer alinhada com os pontos de vista e crenças de Orwell, que eram muito mais generosas com as pessoas comuns, embora nunca ingénuas em relação à natureza humana”, defendeu, por seu lado, Jeremy Wikeley, diretor de programação da Fundação Orwell. À Reuters, deixou claro o seu ponto de vista: “Não cremos que exista qualquer prova de que é uma citação genuína, e podemos dizer com bastante certeza que é falsa.”

Conclusão:

Falso. Não há qualquer vestígio de que a frase tenha sido proferido por George Orwell, nem se encontra escrita em nenhuma das suas obras. Benedict Cooper, responsável pela comunicação da Sociedade Orwell, garantiu publicamente, tanto à agência Reuters como à AFP que se trata de uma citação falsa.

Segundo a classificação do Observador, este conteúdo é:

Errado

No sistema de classificação do Facebook, este conteúdo é:

FALSO: As principais alegações do conteúdo são factualmente imprecisas. Geralmente, esta opção corresponde às classificações “falso” ou “maioritariamente falso” nos sites de verificadores de factos.

Nota: este conteúdo foi selecionado pelo Observador no âmbito de uma parceria de fact checking com o Facebook.

IFCN Badge