Medicina

De repente, eis o “cupping” ou ventosaterapia

Autor
166

O uso do "cupping" por alguns atletas olímpicos lembra-me o uso das pulseiras do equilíbrio, aqui há uns anos, também por famosos e jogadores de futebol, e que acabaram por tornar-se moda.

João L. Monteiro,

O cupping, ou ventosaterapia, é uma técnica de cura milenar que consiste na aplicação de copos (vidro, acrílico ou madeira) com a finalidade de fazer uma sucção na pele através do vácuo. Aquecendo o interior de um copo, o ar expande-se e, quando isso acontece, inverte-se o copo que é colocado numa área localizada do corpo. O ar ao arrefecer vai ocupar um volume menor, gerando vácuo. O copo funciona, assim, como uma ventosa. Como alternativa pode-se chegar ao mesmo resultado com o auxílio de uma bomba de vácuo. O resultado são as conhecidas manchas arredondadas vermelhas ou negras, semelhantes a chupões.

Apesar dos praticantes de Medicina Tradicional Chinesa alegarem que esta técnica permite limpar o sangue de toxinas acumuladas no organismo, ou retirar “estagnações de sangue” do corpo, de ser usado para o alívio de dores musculares e melhorar a circulação sanguínea, tensão arterial e outras inúmeras patologias, a verdade é que não existem evidências científicas e médicas que comprovem estas afirmações. Segundo os proponentes destas práticas, o objetivo é reequilibrar a “energia vital” do organismo – o vitalismo é um conceito abandonado pela ciência por falta de sustentação empírica. Como consequências para os utentes, pode causar dores ou queimaduras, noutros casos pode afastá-los da medicina convencional.

Contudo esta prática tem ganho popularidade por ser utilizada por personalidades mediáticas como a atriz Gwyneth Paltrow ou, mais recentemente, alguns atletas dos Jogos Olímpicos. Isto lembra-me o uso das pulseiras do equilíbrio, há uns anos, também por famosos e jogadores de futebol, que acabaram por tornar-se moda e que, inclusivamente, eram vendidas nas farmácias. Depois de várias queixas, foram retiradas do mercado e a empresa detentora das pulseiras teve de pagar multa por publicidade enganosa.

Atendendo à prática desportiva, é de valorizar o recurso aos mais recentes conhecimentos da ciência e da medicina, assim como a novas tecnologias. No entanto, os técnicos responsáveis devem ter atenção para separar o que é conhecimento validado empiricamente, do que são alegações não comprovadas experimentalmente com resultados estatisticamente significativos.

Membro do COMCEPT – Comunidade Céptica Portuguesa

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: [email protected]
Médicos

Não entrei em Medicina, e agora?

Edson Oliveira
3.721

Não é difícil compreender o que se passou. O conforto do status quo, a previsibilidade do futuro, a sensação de segurança, são sentimentos que deixaram de existir associados a uma formação em Medicina

Medicina

Terapêuticas não convencionais

Fernando Leal da Costa
104

Desconfio do que não conheço e não uso mezinhas ou plantinhas, nem chás ou qualquer outro tipo de medicamentos sem certificação. Não se coloca bolor em feridas. Há penicilina.

Cancro

Ficção e realidade

João de Bragança

Neste Setembro Dourado para a comunidade que lida com o cancro infantil é tempo de contar histórias reais para alertar quem decide, quem não sabe o suficiente, para que também a realidade faça sentido

História

In memoriam de Franco Nogueira /premium

P. Gonçalo Portocarrero de Almada

“Um homem livre, recto e determinado que lutou, com paixão, pelas suas convicções e pelas suas ideias, (…) para recuperar o espírito que fez a grandeza de Portugal”.

Justiça

Extinguir o Tribunal Central de Instrução Criminal

João Miguel Barros

Escrever que a extinção do TCIC dá um sinal errado à opinião pública porque este foi o “tribunal que mandou prender Sócrates” é não compreender a essência do que é um Tribunal de Instrução Criminal.

Lisboa

Portagens e transporte público

Luís Campos e Cunha

Tal como em outras cidades, deveria existir uma portagem a todos os carros que entram em Lisboa. Se vêm de Sintra ou da Amadora, não importa, são viaturas que utilizam os equipamentos da cidade.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)