Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Para quando o fim da desconfiança sobre as empresas e os empresários empreendedores? Quando seremos capazes de não estar sempre a dizer que os empresários são malandros e exploram os trabalhadores e o Estado? Temos uma visão marcadamente comunista e de esquerda radical sobre as empresas, normalizamos a visão de esquerda radical como se fosse aceitável, mas não é! As empresas são o motor do crescimento, em particular as que inovam.  Se não formos capazes de mudar esta mentalidade nunca cresceremos mais que os nossos competidores. Se não mudamos de atitude nunca deixaremos de ter um Estado que se relaciona com os contribuintes, tanto empresas como cidadãos, ao estilo minority report, criando uma carga burocrática absurda para tentar prevenir crime!

Portugal precisa desesperadamente de crescer. Sim, estamos a crescer acima da média europeia, mas também estamos a crescer muito abaixo dos nossos competidores. O nosso comparador não pode ser a Alemanha, têm de ser as economias da nossa dimensão. Actualmente somos o 4º país mais pobre da EU. A consequência para todos é que os salários dos Portugueses estão estagnados desde 1995 e os Portugueses estão a perder poder de compra face aos demais cidadãos Europeus.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.