Logo Observador
Futebol

Futebolista John Terry admite colocar ‘ponto final’ na carreira já esta época

O central internacional inglês John Terry, de 36 anos, disse que não coloca de parte a possibilidade de deixar o futebol já no final da época, na qual termina o seu contrato com o Chelsea.

O central, que conquistou o seu primeiro grande título com os 'blues' com a chegada do treinador português José Mourinho ao clube, em 2004/05, vestiu a camisola do Chelsea em 716 ocasiões, desde a sua estreia em 1998, e 579 como capitão

FACUNDO ARRIZABALAGA/EPA

Autor
  • Agência Lusa

O central internacional inglês John Terry, de 36 anos, disse que não coloca de parte a possibilidade de deixar o futebol já no final da época, na qual termina o seu contrato com o Chelsea.

Terry, figura emblemática do campeão inglês, ao qual chegou ainda em criança, aos juvenis, em 1995, explicou que ainda não tomou uma decisão em relação ao futuro apesar do interesse de outras equipas inglesas, da China ou Estados Unidos.

Ainda não coloquei de parte a hipótese de domingo [frente ao Sunderland] ser o meu último jogo como profissional e retirar-me logo de seguida”, referiu o jogador em declarações à estação televisiva Sky Sports.

O jogador disse, porém, que se chegar uma boa proposta, de Inglaterra ou do estrangeiro, que se irá sentar com a sua família e analisar a mesma, embora nenhuma decisão tenha sido tomada, encontrando-se numa fase de análise ao que fará.

Recentemente, o Chelsea anunciou que John Terry deixará o clube ao fim de 19 épocas nos londrinos, com os quais conquistou cinco títulos de campeão, cinco Taças de Inglaterra, três Taças da Liga, uma Liga da Europa e uma Liga dos Campeões.

Não podia ter escrito história mais maravilhosa, saiu melhor do que pensei: sair como campeão e deixar o clube nas melhores mãos possíveis, com um magnífico grupo de jogadores, um treinador de primeiro nível e um dono fantástico”, sublinhou.

O central, que conquistou o seu primeiro grande título com os ‘blues’ com a chegada do treinador português José Mourinho ao clube, em 2004/05, vestiu a camisola do Chelsea em 716 ocasiões, desde a sua estreia em 1998, e 579 como capitão.

“É um grande homem. Ajudou-me muito na minha primeira época no clube [a atual]. Teve um papel fabuloso, tanto dentro, como fora de campo”, elogiou o treinador italiano Antonio Conte, que levou o clube ao título de campeão.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Fogo de Pedrógão Grande

Assim, nada vai mudar

Alexandre Homem Cristo

A quem se entrega um dossier que se pretende inconclusivo? Ao parlamento, claro – um cemitério de reformas políticas e um palco de desentendimentos que nunca desilude nos espectáculos mediáticos.

Ocidente

A tradição ocidental da liberdade sob a lei

João Carlos Espada

A velha ideia de Universidade é uma das ideias centrais da Tradição Ocidental da Liberdade sob a Lei. Ambas serão celebradas entre hoje e quarta feira no Estoril Political Forum.

Fogo de Pedrógão Grande

Tudo é nada. E o nada é medo

Helena Matos

O imprevisível tornou-se no terror do Governo. Porque é o imprevisível que expõe o logro desse Estado cheio de “meninas César" que gasta metade da riqueza nacional e desaparece quando gritamos Socorro