Explicador

Viagens à Oracle e Huawei. Os problemas são éticos ou legais? 15 respostas para perceber os casos

Agosto 201731 Agosto 2017
Cátia BrunoJoão Francisco Gomes

Quem são os parceiros que pagaram as viagens e que negócios têm o Estado?

Pergunta 12 de 15

Os parceiros da Oracle que terão pago as viagens a São Francisco são pelo menos quatro empresas portuguesas, com sede na região da Grande Lisboa, que são habitualmente contratadas pelo Estado para prestação de serviços na área da informática, comunicações e tecnologias de informação.

A primeira é a Timestamp, empresa de sistemas de informação que implementa soluções de software e que tem até um acordo com o Estado para licenciamento de programas informáticos para a administração pública. A Oracle é um dos principais parceiros e fornecedores da Timestamp, que, de acordo com o Portal Base, tem até ao momento 234 contratos com o Estado, tendo já faturado mais de 24 milhões de euros em contratos públicos. Contactada pelo Observador para esclarecer as relações comerciais com a Oracle e o esquema de pagamento das viagens a São Francisco, a Timestamp mostrou-se indisponível para responder às questões.

No caso aparece também a Normática, empresa de tecnologias de informação que também se dedica à implementação de sistemas e ao fornecimento e licenciamento de programas informáticos. A empresa já assinou 664 contratos com o Estado e já faturou mais de 67 milhões de euros. Também após contacto insistente por parte do Observador, ninguém na empresa se mostrou disponível para explicar o pagamento das viagens.

Também a IDW, que no ano passado estabeleceu uma parceria com a Oracle, terá sido responsável pelo convite a figuras ligadas ao Estado. A empresa, que se dedica à implementação de vários tipos de soluções tecnológicas provenientes de diversos fornecedores, já celebrou 164 contratos com o Estado e faturou cerca de 10 milhões de euros em contratos públicas. Também na IDW ninguém se mostrou disponível para falar ao Observador sobre o caso.

Por fim, a ITEN Solutions, uma outra empresa na área da informática, terá convidado Nuno Cardoso, então diretor de serviços de Tecnologias de Informação da TAP, a participar no evento, tendo pago a viagem. A empresa, que já fez 1.226 contratos com o Estado e já faturou mais de 106 milhões de euros em contratos públicos, não prestou quaisquer esclarecimentos por telefone ao Observador, pedindo que fossem feitas perguntas por escrito. Até agora, não chegaram quaisquer respostas ao Observador.

A Oracle tem um total de 246 contratos diretos com variadíssimas entidades públicas, no valor de 22,8 milhões de euros registados no Portal Base. Não há contratos diretos com a Huawei registados no Portal Base.

O caso da NOS está explicado na pergunta número 15.

Só mais um passo

Ligue-se agora via

Facebook Google

Não publicamos nada no seu perfil sem a sua autorização. Ao registar-se está a aceitar os Termos e Condições e a Política de Privacidade.

E tenha acesso a

  • Comentários - Dê a sua opinião e participe nos debates
  • Alertas - Siga os tópicos, autores e programas que quer acompanhar
  • Guardados - Guarde os artigos para ler mais tarde, sincronizado com a app
  • Histórico - Lista cronológica dos artigos que leu unificada entre app e site