José Sócrates continua a marcar presença na campanha da coligação às europeias. Desta vez foi Paulo Portas, em Ílhavo, a pedir aos eleitores tradicionais da direita que possam estar mais insatisfeitos “com razões legitimas”, que “usem o direito à indignação” para travar “a glorificação de Sócrates” levada a cabo pelo PS.

“Aos eleitores do PSD e CDS que porventura tinham algum desânimo por razões legítimas de insatisfação, quando o virem ser levado em glória, pensem bem. Usem o direito à indignação porque foi ele que nos trouxe a troika” apelou o líder do CDS e vice-primeiro-ministro ao lado de Nuno Melo e Paulo Rangel após uma visita a uma fábrica de bacalhau em Ílhavo. “Domingo não fiquem em casa, vão votar serenamente e travem o caminho desta glorificação de José Sócrates” apelou Portas.

O centrista sublinhou que ao convidar Sócrates para o encerramento da campanha do PS na próxima sexta-feira, Seguro mostra que o “PS de 2014 é igual ao PS de 2011”. “António José Seguro não podia trazer para a campanha o autor do resgate financeiro” concluiu.

Rangel quer pedido de desculpas por ataque de Manuel Alegre

Paulo Rangel diz estar à espera de um pedido desculpas até ao fim do dia de hoje porque Manuel Alegre “passou todos os limites do que é tolerável em democracia em qualquer país da Europa”. “Espero durante o dia de hoje uma retratação, e quero saber se tanto António José Seguro como Francisco Assis têm a ideia que eu tenho alguma associação a algum partido nazi ou alguma prática do regime nazi”.

Ontem à noite, Manuel Alegre disse, sobre o “vírus socialista” introduzido na campanha por Paulo Rangel, que já tinha havido um partido na Europa que considerou que “os judeus eram um vírus que era preciso exterminar”.

PSD e CDS está de corpo e alma na campanha

Confrontado com as declarações de Ribeiro e Castro à Antena 1 sobre não “ter sido convidado” para participar na campanha, Nuno Melo diz que o ex-líder do CDS “não precisa de convite porque é da casa”. “Eu já fiz campanha com José Ribeiro e Castro e nã tenho dúvida que está connosco nesta luta para regressar ao Parlamento Europeu”.

Já Rangel disse sobre a ausência, até agora, de Manuela Ferreira Leite da campanha que “o partido está unido e cada dia vem um”. “Se há pessoa que não deixará de nos apoiar é Manuela Ferreira Leite” aponta, questionando a ausência de Mário Soares da campanha do PS.