Nasceram menos empresas em Portugal nos primeiros cinco meses de 2014 do que em igual período de 2013, de acordo com os dados revelados esta segunda-feira pela Ignios. A queda na “natalidade” foi de 7,8%: menos 1.360 projetos novos. As falências aumentaram 8,1% e atingiram 3.797 empresas, com 18,6% das empresas falidas a pertencerem ao setor da construção e obras públicas.

Porto (22,8%), Lisboa (21,4%) e Braga (11,2%) foram os distritos mais afetados pelas insolvências, mas também foram aqueles em que se registou o maior número de empresas novas. Cerca de 29% nasceu em Lisboa, com o Porto a lançar 18,9% dos novos projetos, Braga 8,8%, Setúbal 6,5% e Aveiro 5,8%. Quase 80% das novas empresas foram formadas com um capital social de 5 mil euros, segundo a empresa especialista em soluções integradas de gestão de risco para o setor empresarial.

As novas empresas foram criadas, sobretudo, no setor de comércio a retalho (12,7%), seguindo-se a restauração (9,7%) e o comércio por prosso (8,9%). A Ignios destaca ainda as empresas da área imobiliária, com 4,7% das novas constituições a situarem-se nas atividades imobiliárias e outros 4,4% na promoção.

mais falências nas micro e pequenas empresas

Mais de 70% das empresas declaradas insolventes nos primeiros cinco meses do ano tinham um volume de negócios inferior a 250 mil euros e cerca de 83% empregavam menos de 10 colaboradores. O setor da construção e obras públicas foi o  mais afetado, seguindo-se as empresas de outros serviços (17,9%), comércio a retalho (16,5%), comércio a grosso (12,0%) e restauração (7,2%).

O número de empresas cujo processo de insolvência se encontra já concluído aumentou 6,9% face aos primeiros cinco meses de 2013, representando 39,7% das insolvências acumuladas entre janeiro e maio de 2014.

O aumento das falências e o decréscimo do número de projetos novos fez com que o o ritmo de crescimento empresarial abrandasse 11,9%. Se, nos primeiros cinco meses de 2013, a diferença entre os projectos que nasciam e os que faliam era de 13.848 empresas, em 2014, é de 12.203. A base de dados da Ignios contempla todas as constituições de empresas publicadas pelo Instituto de Registos e Notariado e todas as ações de insolvência, publicitadas pelo Ministério da Justiça.