O deputado madrileno Pedro Sánchez venceu este domingo as eleições para a liderança do PSOE e vai ser o novo secretário-geral, anunciou o secretário do partido Óscar López.

Pedro Sánchez tem 42 anos, é economista e professor de Estrutura Económica e História do Pensamento Económico na Universidade Camilo José Cela de Madrid. É casado e tem duas filhas, Ainhoa e Carlota. Foi jogador profissional de basquetebol e é adepto do Atlético de Madrid.

Numa altura em que estão contados 88% dos votos dos militantes do PSOE, o secretário do partido anunciou a vitória de Sánchez, deputado madrileno, com uma diferença “irreversível” em relação ao candiato Eduardo Madina.

Com 88% dos votos contados, Sánchez consegue 48,7% enquanto Madina tem 36% dos votos dos militantes do PSOE.

Em terceiro lugar fica José Antonio Pérez Tapias com 15,13% dos votos.

Entretanto, Eduardo Madina já reconheceu a derrota nas eleições à liderança do PSOE e através da rede social Twitter felicitou o deputado madrileno Pedro Sánchez como o candidato vencedor nas eleições do partido.

Na mensagem, Madina sublinha que Sánchez vai ser o próximo secretário-geral do PSOE.

Sendo assim, Pedro Sánchez vai ser nomeado, no congresso do PSOE marcado para os dias 26 e 27, como o quinto secretário-geral do PSOE desde o período da Transição espanhola, nos anos 1970.

Sánchez passa a ser também o primeiro líder dos socialistas espanhóis, escolhido através do voto direto dos militantes que será depois designado através do congresso do final do mês.

O nome de Pedro Sánchez soma-se a outros quatro dirigentes que ocuparam a cúpula do partido desde o fim da ditadura franquista: Filipe González, Joaquín Almunia, José Luis Rodriguez Zapatero e Alfredo Péres Rubalcaba.