São menos 18.000 postos de trabalho a nível mundial no próximo ano. A decisão é da Microsoft e resulta em larga medida da integração da unidade da Nokia, comprada este ano.

Em comunicado, a multinacional explicou que esta decisão é parte de “um plano de reestruturação para simplificar as suas operações e alinhar a operação da recente compra da Nokia Devices & Services com a estratégia global da empresa”.

Os cortes representam cerca de 14% da força laboral” da empresa, que emprega aproximadamente 127.000.

Os custos com esta operação deverão oscilar entre 1,1 mil milhões de dólares e 1,6 mil milhões de dólares.

Numa mensagem enviada aos colaboradores por correio eletrónico, citada pela France Presse, o presidente executivo disse que esta é uma medida “difícil, mas necessária” e que este plano irá trazer uma nova direção estratégica do gigante tecnológico.

A Microsoft concluiu a sua compra de unidade móvel da Nokia em abril, no sentido de reforçar a sua posição nos dispositivos móveis.