O que para algumas crianças é o melhor do verão, para outras é precisamente o contrário: a água. O medo da água é bastante comum entre os mais pequenos. A mudança de um meio terrestre para um meio aquático pode fazer-lhes perder a segurança. Para que as crianças consigam ultrapassar o seu medo, o papel dos pais é fundamental. Ao El País, o coordenador do grupo de trabalho da atividade física da Associação Espanhola de Pediatria, Geraldo Rodríguez, deixou alguns conselhos sobre como ajudar as crianças a ultrapassar o seu medo:

1) Não atrasar o momento do banho

Tem que se enfrentar a água. Evitar o momento do contato direto só fará com que a criança se torne cada vez mais relutante ao entrar na água.

2) Incentivar a autonomia

Ainda que estejam presentes durante o momento do banho, o conveniente é que os pais deixem que as crianças ganhem autonomia e se desenvolvam por si próprios.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

3) Não forçar a imersão

Para que a criança se sinta segura, o melhor é iniciar o banho de maneira calma e sem pressões. Tudo ao ritmo da criança.

4) Utilizar um suporte que permita a criança flutuar

É uma maneira divertida de a criança tomar banho e uma maneira de os pais ficarem ligeiramente mais seguros. Se a criança se aperceber que flutua, perderá o medo de se afundar.

5) Deixar que a criança nade frequentemente

As crianças que ficam muito tempo sem regressar à água podem voltar a ganhar medo. Uma boa opção seria a inscrição na criança em aulas de natação para que o progresso não se perca.