O Banco de Portugal reagiu durante a noite de segunda-feira à notícia avançada pelo Expresso, na qual se referia que os prejuízos do Banco Espírito Santo poderão atingir os três mil milhões de euros no primeiro semestre do ano. O Banco de Portugal, numa nota enviada às redações, reiterou que caso se verifique “qualquer insuficiência da atual almofada de capital, o interesse demonstrado por diversas entidades em assumirem uma posição de referência no BES indicia que é realizável uma solução privada para reforçar o capital.”

E foi mais longe: “No limite, se necessário, está disponível a linha de recapitalização pública criada no âmbito do Programa de Assistência Económica e Financeira, que poderá ser utilizada para suportar qualquer necessidade de capital de um banco português, no enquadramento legal relevante e em aplicação das regras de ajuda estatal.” Ou seja, podemos estar perante um novo resgate do Executivo português a um banco.

Apesar deste cenário, o Banco de Portugal garante que a “solvência” do BES e a segurança dos fundos e depósitos estão “assegurados”. Resta esperar pelos resultados da entidade, que serão publicadas na próxima quarta-feira.