Com as primárias marcadas para 28 de Setembro, António José Seguro, secretário-geral do Partido Socialista, falou sobre o estado do país, a situação do Banco Espírito Santo e das diferenças que tem com o opositor, António Costa, em entrevista à revista Visão.

A entrevista foi feita na segunda-feira, dia 28, na sua terra natal, Penamacor. “Há, em Portugal, um partido invisível, que tem secções sobretudo nos partidos de Governo, que capturou partes do Estado, que tem um aparelho legislativo paralelo através dos grandes escritórios de advogados e influencia ou comanda os destinos do País”, afirmou.

António José Seguro afirmou que existe uma linha de fratura entre o que é a sua “nova e a velha política” de António Costa. “A velha política que mistura negócios, política, vida pública, interesses, favores, dependências, jogadas e intriga. O que existe no PS mais associado a essas coisas é apoiante de Costa”, afirmou. “Comigo, há uma separação clara entre política e negócios. Não tolerarei que qualquer membro do meu Governo tenha a mínima suspeita. Na dúvida, deve demitir-se”, afirmou.

Para o secretário geral do PS, a esquerda precisa de mostrar que é rigorosa com a despesa e as finanças públicas. “Costa está a dar um espaço enorme para a direita dizer que os socialistas são irresponsáveis”, disse.

Quanto ao embate com António Costa nas primárias, disse: “Muita gente, logo no início, disse: “com o Costa é que a gente lá chega”. Não interessam o projeto, as ideias, o que as pessoas fizeram durante três anos, a disponibilidade…Para algumas pessoas, no interior do PS, interessa é aquele que dá poder e o distribui.”

Já relativamente à situação do Banco Espírito Santo afirmou: “Gostaria que toda a verdade [no caso BES] viesse ao de cima. Doa a quem doer. Se isso acontecesse, o tal partido invisível seria… mais visível. Não podemos ter um país de meias-tintas, meias-verdades, de ‘uma mão lava a outra’. Isso adensa o clima de podridão. Não seremos o centrão político nem o centrão dos negócios”.

A revista Visão está nas bancas à quinta-feira.