Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

“Um milagre de Deus”. Foi assim que Jamaliah viu o reaparecimento da sua filha, Raudhatul Jannah, dez anos depois do tsunami que devastou a Indonésia. Nessa altura, ela tinha quatro anos e a família acabou por se conformar com a sua morte, depois de muitos dias à sua procura.

Na quinta-feira, porém, ela voltou a casa, na zona oeste de Aceh, depois do tio a ter visto e achado que ela tinha muitas semelhanças com a irmã desaparecida. “Eu e o meu marido estamos muito felizes”, disse Jamaliah aos jornalistas, dizendo-se pronta para fazer os testes de DNA, “se alguém tiver dúvidas de que é mesmo ela”.

A procura, porém, vai recomeçar. É que também o irmão de Raudhtul pode estar vivo. “Ela disse-nos que é possível que ele tenha sobrevivido. Vamos procurá-lo agora, não vamos desistir”, disse a mãe. “Acreditamos que ele está vivo”.

O terramoto e tsunami de 2004 tirou a vida a 230 mil pessoas, lembra o Sydney Morning Herald. 170 mil das quais na província de Aceh.

 

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR