Liga Europa

Suecos e bielorrussos, o que se sabe sobre eles?

A estreia do Rio Ave e do Nacional da Madeira na fase de grupos da Liga Europa está a dois jogos de distância. Os inimigos serão os Elfsborg, da Suécia, e o Dínamo de Minsk, da Bielorrússia. Quem?

O Rio Ave, treinado por Pedro Martins, já eliminou uma equipa sueca nesta caminhada europeia: o Gotemburgo. Agora, é a vez do Elsfborg tentar a sua sorte

JOSE COELHO

Uns suecos para vingarem os compatriotas? Talvez. Certo é que o Rio Ave, após eliminar o Gotemburgo, terá agora de enfrentar o Elfsborg, outra equipa da Suécia, que terminou no 6.º lugar do campeonato. Já o Nacional da Madeira começa a aventura na capital da Bielorrússia, onde vai jogar contra o Dínamo de Minsk, terceiro classificado da última edição da liga do país.

Nórdicos outra vez. O filme não muda para os vila-condenses. Desta vez é a equipa que, em 2009, eliminou o Sporting de Braga (na altura treinado por Domingos Paciência), também na Liga Europa e, portanto, já tem no paladar a recordação de servir uma refeição amarga a um clube português.

Nomes conhecidos, há poucos. Existe um, contudo, que já é um senhor. Aos 38 anos, Anders Svensson ainda mexe. O médio, que em tempos andou pelo Sunderland, na Premier League, é o capitão e o cérebro que, no meio campo, empresta os pés para ainda ir ditando os caminhos que a bola faz no jogo do Elfsborg.

Com muita idade ou não, Svensson até esteve no play-off contra Portugal, em novembro de 2013, com a seleção sueca (fez 12 minutos em Lisboa e 44, em Estocolmo).

Escandinávia para uns, leste para outros. Ao Nacional da Madeira calhou o Dínamo de Minsk. E aqui já fica mais complicado saber coisas. Vamos ao óbvio. O clube acabou em terceiro num campeonato com 12 equipas. No plantel tem Dmiti Sychev, avançado russo, de 30 anos, que passou anos e anos no Lokomotiv de Moscovo e que, às tantas, chegou a aparecer nos jornais como possível alvo do Sporting — também esteve no Euro 2004, mas não jogou contra Portugal.

Christian Obodo, médio nigeriano, com épocas contadas em Itália (cinco só na Udinese), também por lá anda. O nome dele interessa pois, na época passada, foi um dos jogadores apanhados na salada russa de contratações que inundou o Olhanense. Chegou em janeiro, fez 900 minutos, espalhados por 13 jogos, e não marcou golos. De resto, os bielorrussos têm vantagem numa coisa: no ritmo. O campeonato do país chega à 20.ª jornada neste fim de semana, enquanto o Nacional da Madeira não fez qualquer partida oficial esta época.

Por último, interessa o que é mesmo certo — a 21 de agosto, uma quinta-feira, o Rio Ave visita o Elfsborg na primeira mão deste play-off, enquanto o Nacional da Madeira vai a Minsk. O segundo encontro realiza-se a 28 de agosto.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Ensino Superior

Bolonha, 20 anos depois

José Ferreira Gomes

Temos um falso sistema de dois ciclos de licenciatura e mestrado porque se está a generalizar a prática de admitir a mestrado estudantes que não concluíram a licenciatura. Estranho? Não em Portugal!

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)