Cinco palestinianos foram mortos este sábado em ataques israelitas no centro da Faixa de Gaza, segundo os serviços de emergência locais. Na sexta-feira, um rocket lançado de Gaza atingiu uma casa israelita, em Sderot. Em Gaza, duas pessoas foram mortas num ataque “contra uma motorizada no campo de al-Maghazi” e três cadáveres foram retirados dos escombros da “mesquita de al-Qassam, bombardeada por aviões”, no campo de Nuseirat, disse à agência France Presse o porta-voz dos serviços de emergência palestinianos, Ashraf al-Qodra.

As vítimas eram todas do sexo masculino, com idades entre os 19 e os 56 anos, disse. Durante a madrugada de sábado, a aviação israelita atacou cerca de 30 alvos em diferentes pontos da Faixa de Gaza, em resposta ao disparo de 60 ‘rockets’ contra território israelita, segundo um porta-voz militar israelita citado pela agência EFE.

A violência em Gaza prossegue depois da rutura, na sexta-feira, de uma trégua de 72 horas mediada pelo Egito. Dirigentes do movimento radical Hamas acusaram Israel de ignorar as exigências palestinianas para um cessar-fogo duradouro, entre as quais o levantamento do bloqueio a Gaza, a libertação de presos palestinianos e a construção de um porto e de um aeroporto na Faixa de Gaza.

Israel, por seu lado, recusou negociar enquanto prosseguirem os ataques do Hamas contra território israelita, tendo ordenado o regresso da delegação israelita que participava nas negociações no Cairo. De acordo com exército israelita, desde 8 de julho já foram disparados 3.421 rockets contra Israel. Um deles atingiu, na sexta-feira, a casa de um civil israelita, em Sderot. O exército informou ainda que mais de 20% dos rockets lançados na sexta-feira pelo Hamas (13 em 61) caíram em Gaza. “O Hamas dispara contra Israel e atinge o seu próprio povo”, acusam.