Um especialista da Organização Mundial de Saúde (OMS), que está destacado na Serra Leoa para combater a epidemia de Ébola, contraiu o vírus que provoca a febre hemorrágica, divulgou hoje a agência das Nações Unidas. De acordo com um porta-voz da OMS em Genebra, o paciente é um epidemiologista. É a primeira vez, segundo a organização, que um membro das equipas da OMS destacadas no terreno é infetado com o vírus do Ébola.

A OMS não forneceu mais informações sobre o colaborador em questão, nomeadamente nacionalidade ou idade. A pessoa “está a receber o melhor tratamento possível” e a evacuação para um outro centro de cuidados médicos é viável, segundo a organização.

Desde o início da epidemia de Ébola, em março, a OMS destacou cerca de 400 pessoas para os países da África Ocidental mais afetados: Libéria, Guiné-Conacri, Serra Leoa e Nigéria. Ao longo dos últimos seis meses, mais de 225 pessoas que trabalhavam no sector da saúde contraíram o vírus do Ébola, das quais perto de 130 morreram.

A OMS contabilizou, até 20 de agosto, 1.427 mortos em 2.615 casos identificados. A Libéria é o país mais afetado, com 624 mortos em 1.082 casos, seguindo-se a Guiné-Conacri com 407 vítimas mortais. A Serra Leoa e a Nigéria registaram, respetivamente, 392 mortos e cinco mortos.