A Agência de Segurança Nacional (NSA, na sigla em inglês) não encontrou provas de alertas internos que terão sido feitos pelo ex-consultor Edward Snowden relativos à monitorização da agência norte-americana no mundo, de acordo com documentos judiciais.

O diretor de arquivos da NSA, David Sherman, disse que a agência tinha lançado uma “extensa” investigação, após as revelações de Edward Snowden. A NSA reuniu “e-mails enviados e recebidos” por Snowden, incluindo aqueles “obtidos por restaurar nos documentos guardados”, disse Sherman, numa declaração sob juramento feita sexta-feira.

“A investigação não encontrou nenhum e-mail escrito pelo Sr. Snowden em que ele tivesse avisado os funcionários da agência para partilhar as suas preocupações sobre os programas da NSA,”, declarou. Estas declarações contradizem as afirmações feitas por Snowden à televisão NBC News em maio, durante a qual expressou a sua preocupação pelos “canais internos”.

O ex-consultor da NSA salientou que foi avisado” para parar de fazer perguntas” até que finalmente decidiu fazer as suas revelações.

Snowden, que em 2013 revelou programas secretos de espionagem em massa da NSA, está atualmente exilado na Rússia.