O Conselho de Ministros aprovou esta quinta-feira um diploma que determina que os administradores do Metropolitano de Lisboa, Carris, Transtejo e Soflusa vão passar a acumular funções, reduzindo assim de 13 para cinco o total de elementos. O mesmo vai acontecer com os conselhos de administração da REFER e da Estradas de Portugal, que vão passar de nove para sete administradores, medidas que se inserem no processo de fusão destas empresas. “No regime remuneratório associado à acumulação de funções, os administradores auferem apenas uma remuneração”, indica o diploma.