O general norte-americano Philip Breedlove, comandante supremo das forças aliadas, garantiu hoje, numa reunião do comité militar da NATO em Vilnius, Lituânia, que forças russas “ainda estão na Ucrânia”. “No que diz respeito às forças armadas russas no terreno, sim, mantêm-se na Ucrânia”, referiu o general em conferência de imprensa, sem facultar números concretos.

Philip Breedlove disse também que o cessar-fogo de há duas semanas “ainda existe na teoria, mas o que acontece no terreno é uma história diferente”, acrescentando esperar “que isso se altere”. “A fluidez do movimento das forças russas e das forças apoiadas pela Rússia de um lado para o outro da fronteira torna quase impossível perceber números”, disse.

Breedlove afirmou ainda estar esperançoso em relação ao acordo alcançado hoje de madrugada entre os separatistas ucranianos pró-Rússia e as autoridades de Kiev. Os separatistas ucranianos e as autoridades de Kiev acordaram na madrugada de hoje um cessar-fogo e a criação de uma zona desmilitarizada de 30 quilómetros na região leste da Ucrânia. Depois de conversações em Minsk, na Bielorrússia, as duas partes assinaram um acordo.

Depois de sete horas de negociações na capital bielorrussa, o ex-presidente ucraniano Leonid Kuchma fez o anúncio, sublinhando também que este vem consolidar a trégua em vigor desde 05 de setembro, mas que é violada frequentemente.