Os acionistas da Zopt, a Sonaecom e Isabel dos Santos “oferecem-se”, em comunicado, para participar numa solução para o caso Oi/PT que “assegure o necessário compromisso de interesses, promovendo a defesa do interesse nacional”.

O texto integral do comunicado enviado às redações aponta para uma alternativa à proposta da Altice:

“A ZOPT, SGPS, SA, e os seus accionistas, na qualidade de investidores estratégicos e comprometidos com o mercado de telecomunicações português, na sequência das notícias recentemente vindas a público sobre possíveis alterações na estrutura acionista da PT/OI, convictos da existência de alternativas que salvaguardem o valor acionista, contribuam para o desenvolvimento e investimento no sector, assegurando mais competitividade e valor para os clientes, manifestam a sua disponibilidade para integrar uma solução que, em aberta colaboração com as partes envolvidas, assegure o necessário compromisso de interesses, promovendo a defesa do interesse nacional”.

Fonte próxima da ZOPT adiantou que esta “holding”, que controla a NOS, pode apresentar à Oi “as melhores condições financeiras” em função das sinergias obtidas e que está disponível para trabalhar com a regulação no sentido de garantir condições de concorrência no mercado português.

A mesma fonte adiantou que os accionistas da ZOPT estão disponíveis para assegurar uma solução para o mercado português de telecomunicações com operações fortes, capacidade de crescimento e preservação de postos de trabalho.