Burkina Faso

Líderes do Burkina Faso acordam governo de transição e eleições em 2015

Dirigentes dos partidos políticos do Burkina Faso chegaram, esta madrugada, a um acordo sobre a formação de um governo de transição e a realização de eleições em novembro de 2015.

LEGNAN KOULA/EPA

Dirigentes dos partidos políticos do Burkina Faso chegaram, esta madrugada, a um acordo sobre a formação de um governo de transição e a realização de eleições em novembro de 2015, de acordo com um comunicado emitido no final da reunião.

Contudo, o encontro, que se realizou na capital Ouagadougou, concluiu sem que ninguém fosse nomeado para liderar o Executivo que, à luz do acordo alcançado, não deve permanecer no poder mais de um ano.

O acordo foi promovido pelos Presidentes do Gana, Senegal e Nigéria, respetivamente, John Dramani Mahama, Macky Sall e Goodluck Jonathan, como mediadores da Comissão da Comunidade Económica de Estados da África Ocidental (CEDEAO).

Os dirigentes sociais e políticos adotaram o acordo depois da demissão do Presidente Blaise Compaoré na semana passada, ao fim de 27 anos no poder, forçada por massivos e violentos protestos nas ruas.

No sábado, o Exército proclamou como chefe de Estado o tenente-coronel Isaac Zida, que ordenou um destacamento militar para a capital para reprimir os protestos civis, e assumiu o controlo da televisão pública.

O golpe de Estado do Exército foi visto com receio pela comunidade internacional desde o seu início, com uma condenação expressa das Nações Unidas, da União Africana e da CEDEAO.

A União Africana deu, esta segunda-feira, um prazo de duas semanas ao Exército do Burkina Faso para repor a constitucionalidade no país e instaurar um Governo de transição liderado por civis sob pena de vir a enfrentar sanções.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eleições Espanha 2015

Nem tudo vale na política

Dantas Rodrigues

Oportunismos como o da candidatura de Manuel Valls em Barcelona é que degradam a imagem da política e alimentam a propagação de partidos populistas sejam eles de extrema-direita ou de extrema-esquerda

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)