Portugal continua a ser um país mais ou menos desconhecido na China, apesar do crescente papel que o investimento chinês tem vindo a representar na economia nacional.

Para ultrapassar este “défice de notoriedade”, o Turismo de Portugal vai lançar uma campanha de promoção do país como destino turístico apoiada naquela que é a figura pública mais conhecida de Portugal, Cristiano Ronaldo, explicou ao Observador o secretário de Estado do Turismo. A estratégia de promoção por figuras públicas deixou de ser usada há alguns anos, mas Adolfo Mesquita Nunes considera que esta é a forma mais eficaz de aumentar a notoriedade no mercado chinês e “colocar Portugal no mapa”.

O capitão da seleção nacional e jogador do Real Madrid é muito popular na China onde o seu nome é praticamente sinónimo de Portugal. A campanha com cartazes não se destina contudo ao grande público, é direcionada para os dez maiores operadores turísticos do país, já que os chineses usam muito este modelo para viajar sobretudo para a Europa. A estratégia de promoção passa ainda pela agilização do processo de concessão de vistos de turista.

A utilização da imagem de Ronaldo custa 150 mil euros numa iniciativa que terá um orçamento de 450 mil euros. O arranque coincide com a deslocação do secretário de Estado do Turismo ao China International Travel Mart 2014, um dos principais eventos asiáticos do setor que se realiza em Xangai.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O crescimento do fluxo de turistas made in China seria muito impulsionado por voos diretos entre os dois países, reconhece o secretário de Estado, mas essa será sempre uma decisão das companhias que passa por fundamentos económicos que podem exigir uma maior escala no tráfego entre os dois países

Porquê a China?

A China está longe de ser um dos principais países de origem de turismo para Portugal e o objetivo não é mudar esta realidade, mas sim diversificar os mercados.

Apesar do forte crescimento entre 50% a 60% no fluxo de turistas chineses para o mercado nacional, nos últimos dois anos, o número de visitantes continua a ser muito residual. Mas a China será em breve o maior mercado mundial emissor de turistas. E Portugal não quer ficar de fora da rota destes turistas cujas viagens à Europa ainda têm como grande objetivo conhecer as principais atrações turísticas do continente. E a concorrência é forte: Espanha, Itália e França.

Outro elemento que está a potenciar a notoriedade de Portugal na China é o programa dos vistos gold, reconhece Adolfo Mesquita Nunes. Os chineses representam cerca de 80% das autorizações de residência concedida ao abrigo deste programa, onde a compra de uma segunda residência tem sido o principal investimento.