Quatro padres católicos, suspeitos de abuso de menores na arquidiocese de Granada, no sul de Espanha, foram detidos, informou o ministro do Interior espanhol, Jorge Fernandez Diaz. “A polícia prendeu de manhã e foram presentes a tribunal quatro pessoas, quatro padres envolvidos neste caso”, declarou o ministro à radio nacional espanhola.

Este caso veio a público depois de um jovem, atualmente maior de idade, ter enviado uma carta diretamente à Santa Sé a acusar um grupo de religiosos de abusos sexuais. “Caro Santo Padre, tenho 24 anos e sou membro da Opus Dei”, lê-se no início da missiva endereçada ao papa Francisco, segundo o diário espanhol El Pais. O jovem, que frequentou entre os sete e os 18 anos de idade a paróquia de Granada, identificou quatro religiosos e descreveu os abusos cometidos. “As práticas sexuais mais frequentes passavam por massagens, masturbação e beijos na boca”, relatou o jornal espanhol, citando a missiva.

O autor da carta alertou igualmente que outros menores, raparigas e rapazes, poderão ter sofrido abusos, referindo ainda que outros religiosos da paróquia tinham conhecimento da situação. Depois de ter conhecimento do assunto, o papa Francisco terá falado diretamente com o jovem adulto para pedir perdão em nome da Igreja católica, de acordo com o El Pais.

A arquidiocese de Granada confirmou em meados deste mês a abertura de uma investigação por alegado abuso sexual a menores contra um grupo de padres, que foram suspensos de funções. O arcebispo de Granada Francisco Javier Martinez rezou no domingo passado deitado no chão para pedir perdão a “todos os indignados com a conduta da Igreja”. Desde que assumiu a liderança da Santa Sé, o papa Francisco defende uma tolerância zero contra a pedofilia, flagelo que poderá ter feito dezenas de milhares de vítimas e que desacreditou fortemente a Igreja católica.