Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O CDS vai homenagear esta quinta-feira os antigos líderes parlamentares num almoço na Assembleia da República onde estarão presentes várias figuras do partido e alguns dos seus fundadores que entretanto já não fazem parte desta organização política. O almoço realiza-se nos 34º aniversário da tragédia de Camarate servindo para lembrar a memória de Adelino Amaro da Costa no ano em que o partido que ajudou a fundar completa 40 anos.

“Não é coincidência, Adelino Amaro da Costa foi um grande parlamentar e sendo um dia marcante para o CDS recordamos a sua memória e queremos sublinhar a sua influência e o seu papel ao longo dos anos”, disse Nuno Magalhães, atual líder da bancada centrista ao Observador. Para este almoço foram convidados vários ex-líderes da bancada como Rui Pena, que entretanto saiu do partido e foi ministro de António Guterres, Narana Coissoró e Basílio Horta, fundador do CDS e presidente da Câmara de Sintra eleito pelo PS – “não queremos apagar a história”, assegura Magalhães

Também o vice-primeiro-ministro Paulo Porta estará presente – e fará uma intervenção – assim como o ministro Mota Soares e o eurodeputado Nuno Melo. Está também previsto o lançamento de um livro com as intervenções parlamentares de alguns dos líderes e deputados do CDS no âmbito dos 40 anos do partido. A homenagem será ainda estendida a outros líderes parlamentares que já faleceram como Jorge Ferreira e Maria José Nogueira Pinto.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR