Podiam recorrer. Apelar contra a decisão. Assim o fizeram. As federações de futebol da Sérvia e da Albânia não gostaram dos castigos que a UEFA lhes aplicou a 23 de outubro devido aos incidentes de Belgrado, onde um drone interrompeu o jogo de qualificação entre as duas seleções e vários adeptos invadiram o relvado. A entidade, na altura, não perdoou. E agora voltou a não o fazer — os castigos mantêm-se. O que, de novo, é bom para Portugal.

Ou seja, a Sérvia perde os três pontos que, até ao encontro ser abandonado, lhe eram favoráveis (vencia por 1-0), enquanto a Albânia ficou com uma derrota, por 3-0. Ambas as equipas, em suma, ficaram com os mesmos pontos que tinham antes da partida se ter realizado, a 14 de outubro, por decisão do Comité de Ética e Disciplina da UEFA, que se reuniu esta quarta-feira.

Em comunicado, o órgão que os recursos de ambas as federações foram rejeitados e que, “como consequência, as decisões originais do comité foram confirmadas”. Logo, cada país terá igualmente de pagar uma multa de 100 mil euros pelos incidentes ocorridos no Estádio do Partizan, em Belgrado. Confirmados os castigos, as contas do Grupo I de apuramento para o Europeu de 2016, no qual se integra a seleção nacional, ficam na mesma — a Dinamarca lidera, com sete pontos e quatro jogos, e Portugal está em segundo, com seis em três jogos, à frente da Albânia (quatro em três), Sérvia (um em três) e Arménia (um em três).

Aos 40 minutos do tal encontro, recorde-se, a partida foi interrompida quando um drone, alegadamente pilotado por um cidadão albanês, começou a sobrevoar o relvado, ostentando uma bandeira da Albânia e um mapa da “Grande Albânia” — no qual estava desenhada a região separatista.

Ao ver a bandeira, Stefan Mitrovic, central do Friburgo que, em 2013/14, pertencia ao Benfica, agarrou-a e puxou-a para si. Foi nesse momento que os jogadores sérvios e albaneses entraram em confronto. E quando Bekim Balaj, avançado albanês do Slavia de Praga, pegou na bandeira e a tentou levar para fora do relvado, um adepto sérvio entrou em campo e atirou-lhe uma cadeira de plástico. Depois, os futebolistas da seleção da Albânia teriam que ser escoltados pela polícia até aos balneários.