Rádio Observador

Espionagem

NSA escutou e guardou comunicações de americanos fora do país durante mais de uma década

Mais um golpe para a Agência de Segurança Nacional, que foi obrigada a revelar documentos internos que confirmam que escutou e guardou ilegalmente comunicações de norte-americanos fora dos EUA.

Getty Images

A NSA, a Agência de Segurança Nacional dos EUA, terá violado a lei norte-americana durante mais de uma década ao escutar e guardar as comunicações de norte-americanos fora dos EUA, de acordo com um relatório divulgado esta quarta-feira pela agência.

Os documentos colocados no site da NSA surgem depois de uma requisição da American Civil Liberties Union, uma organização não-governamental de defesa dos direitos individuais, ao abrigo do Freedom of Information Act. Os relatórios que a NSA foi obrigada a publicada na sua página na Internet demonstram que a agência teve acesso e guardou dados das comunicações dos norte-americanos a viver fora do país, contrariamente ao que a lei americana estabelece.

NSA Report

Um dos documentos revelados hoje pela agência, onde revela ilegalidades. Fonte: NSA.

Os programas de vigilância da NSA, que tiveram início após os ataques de 11 de setembro de 2001, foram revelados através da publicação de documentos pelo antigo funcionário da agência Edward Snowden, no ano passado.

O processo movido pela ACLU tem como objetivo clarificar o uso pela NSA da ordem executiva, assinada pela primeira vez por Ronald Reagan em 191, que dá a possibilidade a agência de fazer operações de vigilância fora dos EUA, mas proíbe-a de guardar um vasto leque de informação que está definida como sendo protegida.

Nestes documentos, a NSA reconhece que isso nem sempre acontece, mas diz que isso se deve, na grande maioria, a “erros técnicos ou erro humano”, e garante que tem vários processos para garantir que a informação é protegida. Os 48 relatórios revelados podem ser consultados no site da NSA (aqui).

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Floresta

As lições que continuamos a não querer aprender

António Cláudio Heitor

É mais fácil culpar o desleixo, a mão criminosa e a falta de gestão dos proprietários, do que assumir o erro de centrar as questões no combate. A raiz do problema está na desertificação do mundo rural

Incêndios

Incêndios: alguém puxou a cassete para trás

Teresa Cunha Pinto

Reduziram Portugal a um campo de batalha dividido ao meio, onde num lado estão os que merecem e do outro os que não merecem. Este país profundamente só e abandonado deixa-nos a todos sem chão.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)