Choque. É esse o sentimento do Xeique David Munir perante a notícia da morte de 12 pessoas na sequência de um ataque ao jornal Charlie Hebdo, em Paris, esta quarta-feira. Chocado ele e toda a comunidade muçulmana em Portugal, garante o Imã da Mesquita de Lisboa: “Todos ficamos chocados, muito chocados pela brutalidade e violência desse ato”.

O jornal Le Parisien, citando testemunhas, avançou que os três homens que levaram a cabo o ataque gritaram “Alá está entre nós”. O Xeique David Munir condena veementemente a referência ao Islão, “certas pessoas utilizam uma religião pacífica para atos destes, e fazem mal”. O Imã faz questão de “apresentar as condolências às famílias das vítimas. E espero que esta insegurança que se vive, que passe o mais depressa possível”.

O Xeique David Munir apela à tolerância e salienta que “é muito importante a convivência salutar entre as pessoas, se eu não respeitar, não serei respeitado”.

Sobre a eventualidade de a comunidade islâmica poder ser encarada de outra forma, negativa, por causa deste episódio, o Imã da Mesquita de Lisboa rejeita completamente tal cenário: “São duas comunidades completamente diferentes, a portuguesa convive com as pessoas, respeita e é respeitada. Não pode ser comparada com o que acontece no resto da Europa.”

O ataque de três homens contra o jornal satírico Charlie Hebdo causou 10 mortos, quatro feridos em estado grave e 20 feridos ligeiros. Os mortos são dez jornalistas e dois agentes da polícia. Os indivíduos que perpetraram o ataque estavam armados com metralhadoras, referem diversas testemunhas, e continuam, até ao momento, em fuga.