Barack Obama vai apresentar na terça-feira, no discurso sobre o Estado da União, uma reforma fiscal para eliminar as lacunas aproveitadas principalmente pelos contribuintes mais ricos e baixar os impostos para a maioria das famílias, informou a Casa Branca. As propostas fiscais do Presidente dos Estados Unidos, detalhadas pela administração num documento publicado no sábado, deverão enfrentar resistência no Congresso, agora dominado pelos republicanos.

No entanto, servem para concretizar a vontade do Partido Democrata de aumentar a pressão fiscal sobre 1% das famílias mais abastadas, com vista a financiar novas ajudas para a classe média. Barack Obama propõe eliminar aquela que “pode ser a maior lacuna fiscal de todo o código de impostos dos particulares”, sobre a tributação dos rendimentos de capital. Uma lacuna que permite atualmente não pagar ou pagar poucos impostos sobre ganhos de capital de bens herdados.

A Casa Branca apresentou um documento no qual alega que o atual “código de imposto é injusto, permitindo que os ricos joguem com diferentes regras”. “Os 400 contribuintes mais ricos pagaram em média uma taxa de imposto inferior a 17% em 2012, menos do que muitas famílias da classe média”, disse a Casa Branca.

Republicanos e Democratas têm posições divergentes quanto à reforma fiscal. Enquanto os primeiros querem alterações sem um aumento líquido das receitas fiscais, Obama e os democratas preferem um plano que iria aumentar as receitas fiscais para financiar gastos sociais adicionais.

As divergências são evidentes na proposta divulgada no sábado, com a Casa Branca a defender que “ao assegurar que os que estão no topo pagam uma justa parcela de impostos, o plano do Presidente permite, com responsabilidade, pagar os investimentos necessários para ajudar a melhorar a condição das famílias da classe média”.

O discurso anual sobre o Estado da União é um ritual da democracia norte-americana e representa um dos pontos altos do ano político nos Estados Unidos. O Presidente norte-americano utiliza tradicionalmente o discurso para revelar as prioridades legislativas para o ano.