Uma fotografia publicada na famosa página de Facebook “Humans of New York” (HONY) gerou uma onda de solidariedade que permitiu angariar mais de 365 mil dólares (cerca de 325 mil euros), que irão permitir a uma turma do 6º ano de uma escola de Brooklyn visitar a Universidade de Harvard.

Tudo começou com a fotografia de um jovem que Brandon Stanton, autor do HONY, fotografou nas ruas de Nova Iorque, à semelhança do que tem feito nos últimos quatro anos. Brandon Stanton perguntou ao rapaz quem era a sua maior influência, ao que o jovem respondeu: “A minha diretora, a Sra. Lopez”, acrescentando depois a justificação para a escolha. “Quando nos metemos em sarilhos ela não suspende as nossas matrículas. Em vez disso, chama-nos ao gabinete e diz-nos que sempre que alguém deixa a escola, constrói-se uma nova cela de prisão. Uma vez ela pôs os alunos de pé – um de cada vez – e disse a cada um de nós que éramos importantes”.

Esta publicação tem mais de um milhão de gostos no Facebook, tendo sido partilhada 132,471 vezes. Entre os mais de 18 mil comentários, há quem sugira que a Sra. Lopez deva concorrer à Presidência dos EUA ou quem peça a Ellen DeGeneres que a convide para o seu programa de televisão.

Depois das fortes reações que as declarações do jovem geraram, Brandon Stanton foi à procura da diretora na Mott Hall Bridges Academy, localizada no bairro problemático de Brownsville, que apresenta a maior taxa de crime do Estado de Nova Iorque e onde quase 40% dos seus habitantes vivem abaixo do limiar da pobreza.

A Sra. Lopez explicou a Brandon Stanton que há poucas expectativas relativamente a estas crianças devido ao meio onde vivem e que, portanto, o desafio da escola passa por elevar essas expectativas para que os alunos possam ambicionar “ser bem-sucedidos”. Uma forma de o fazer passa por mudar a narrativa sobre as suas origens. “Quero que eles saibam que – mesmo que vivam num bairro social – pertencem a uma longa dinastia real que tem origem nos grandes reis e rainhas africanos”, explicou a diretora ao HONY.

View this post on Instagram

A couple days back, I posted the portrait of a young man who described an influential principal in his life by the name of Ms. Lopez. Yesterday I was fortunate to meet Ms. Lopez at her school, Mott Hall Bridges Academy. “This is a neighborhood that doesn’t necessarily expect much from our children, so at Mott Hall Bridges Academy we set our expectations very high. We don’t call the children ‘students,’ we call them ‘scholars.’ Our color is purple. Our scholars wear purple and so do our staff. Because purple is the color of royalty. I want my scholars to know that even if they live in a housing project, they are part of a royal lineage going back to great African kings and queens. They belong to a group of individuals who invented astronomy and math. And they belong to a group of individuals who have endured so much history and still overcome. When you tell people you’re from Brownsville, their face cringes up. But there are children here that need to know that they are expected to succeed.”

A post shared by Humans of New York (@humansofny) on

E foi em conversa com esta professora que surgiu a ideia de angariar fundos para que todos os anos os alunos do 6º ano possam visitar a Universidade de Harvard. “Quero que todas as crianças que entram na minha escola saibam que podem chegar onde quiserem e que serão capazes de se integrar”, disse a diretora, numa referência à escolha da emblemática universidade da Ivy League (termo que designa um conjunto seleto de universidades de topo nos EUA).

View this post on Instagram

I spent yesterday afternoon in a brainstorming session with Ms. Lopez and her assistant principal Ms. Achu, trying to think of creative ways that the HONY community could help further the vision of Mott Hall Bridges Academy. Our discussion covered many needs, but we kept returning to one in particular– the limited horizons of disadvantaged youth. Ms. Lopez’s school is situated in a neighborhood with the highest crime rate in New York, and many of her scholars have very limited mobility. Some of them are very much ‘stuck’ in their neighborhood. And many have never left the city. “It can be very difficult for them to dream beyond what they know,” Ms. Lopez explained. So the three of us struck on an idea. (OK, it was Ms. Achu’s idea, but we all agreed.) We want to create a fund that will provide each incoming 6th grade class at Mott Hall Bridges Academy a chance to get out of their neighborhood and visit a new place. And that place is Harvard University. “I want every child who enters my school to know that they can go anywhere, and that they will belong,” said Ms. Lopez. So we’re going to try to make it happen! Let’s help this visionary educator enrich the lives of her students. Please consider donating.  Link in bio.

A post shared by Humans of New York (@humansofny) on

O objetivo inicial apontava para os 100 mil dólares (aproximadamente 89 mil euros). Em apenas 24 horas, o dinheiro angariado mais do que triplicou. Faltam duas semanas para o fim da campanha e Brandon Stanton já tem outro objetivo: juntar ainda mais dinheiro para criar um programa de verão, altura em que as crianças não têm aulas e são obrigadas a passar os dias em casa, uma vez que nem os parques, nem as bibliotecas são locais seguros. Se o “grupo mais caloroso da internet”, nas palavras de Stanton, conseguir reunir 40 mil dólares (cerca de 36 mil euros), os alunos terão um programa de verão.